×
Home
FocoNews
Clássico Rei
Carro e Campo
Mosaico
Fatos e Notas
Especial Foco
Fotos
RN em Foco
Espaço GEEK
Edições
Anuncie aqui
Fale conosco









#ESPECIAL
FOCO

Fecomércio e SESC no Outubro Rosa do RNProgramação contempla os municípios de Natal, Caicó, Mossoró e Nova Cruz com caminhadas, exames de mamografias e desfiles

O Serviço Social do Comércio do Rio Grande do Norte (SESC-RN) promove intensa programação alusiva ao Outubro Rosa abrantendo ações de informação, conscientização e atendimento. As atividades já estão acontecendo nas cidades de Natal, Caicó, Mossoró e Nova Cruz. A Unidade Móvel SESC Saúde Mulher está instalada na cidade de Natal oferecendo mamografias gratuitas e o Sistema Fecomércio  tem agenda de desfiles com pacientes e ex-pacientes de câncer de  mama, caminhadas e orientações de Saúde.

A segunda edição do desfile "Um toque pela autoestima" acontece neste sábado (14) nas dependências do Natal Shopping, no mesmo local em que está estacionada a unidade SESC Saúde Mulher. O desfile também será realizado no domingo (15) em Mossoró, no Partage Shopping; e dia 20, no Sesc Caicó. É uma ação que visa estimular a autoestima entre estas mulheres, muitas delas mastectomizadas, com queda de cabelo e outros agravos provocados pelo câncer.  Os desfiles contarão ainda com apresentações culturais e bate-papos com profissionais da saúde.


Nova Cruz também terá uma extensa programação dia 23, com Caminhada Outubro Rosa, orientações sobre saúde sexual feminina, palestras sobre câncer de mama com profissionais de saúde e com ex-pacientes. Em Mossoró, a caminhada será dia 29/10. A programação completa está disponível no site do Sesc, o www.sescrn.com.br.  


O ano inteiro


O Sesc tem engajamento na campanha Outubro Rosa desde o ano de 2009. Campanha que é realizada no mês de outubro de modo simultâneo no mundo inteiro para alertar sobre a importância do diagnóstico precoce do câncer de mama.


Mas a atuação da entidade que faz parte do Sistema Fecomércio RN ocorre durante o ano inteiro por meio da Sesc Saúde Mulher. Desde que começou a funcionar, em 2012, de forma pioneira no país, a unidade móvel já atendeu mais de 33 mil potiguares em 20 municípios. 712 mulheres que, a partir da detecção de anomalias na mama em exames feitos na unidade, foram encaminhadas ao serviço público de saúde para iniciar o tratamento. Até o final deste mês, a unidade realizará 1.400 exames, sendo 700 preventivos e 700 mamografias, de forma gratuita em Natal.


Caminhada do SESC no Outubro Rosa 2016 (Foto: Kamilo Marinho)
BB oferece acesso a contas por WhatsAppAs consultas serão respondidas por um sistema de inteligência artificial

Clientes do Banco do Brasil poderão fazer consultas à conta-corrente por meio do aplicativo de mensagens instantâneas WhatsApp e por meio da rede social Twitter. As consultas serão respondidas por um sistema de inteligência artificial. O serviço será liberado gradualmente para os clientes do banco nas próximas semanas.

No WhatsApp, o Banco do Brasil vai oferecer oito transações: consultas a saldos e extratos de conta corrente e poupança, saldo de Certificado de Depósito Bancário (CDB), extrato de fundos de investimento, rastreio e fatura de cartão.

No Twitter, o correntista do banco poderá fazer consultas de saldo e extrato, além de tirar dúvidas e requerer atendimento no serviço de atendimento ao cliente (SAC).

Expansão. O anúncio vem três meses depois de a instituição financeira iniciar a operação de um serviço de transações por meio do aplicativo de mensagens instantâneas Facebook Messenger, que é integrado à rede social.

A tecnologia usada no Messenger é a mesma que está sendo usada no WhatsApp e no Twitter. Por meio de um sistema de inteligência artificial, um robô virtual "conversa" com o cliente do banco em linguagem natural. O robô também consegue aprender com as interações, se tornando mais precisa com o tempo. Com informações do Estadão Conteudo.


(Foto: Divulgação)
Macaíba vai ter sua primeira escola indígenaSecretário de Educação, Domingos Sávio, articula ação de inclusão social pela via da Educação e do fortalecimento cultura

Os índios Tapuia da comunidade do Tapará, em Macaíba, caminham a passos largos para terem em seu território a primeira escola pública indígena do município. As ações que estão sendo desenvolvidas tem à frente, pelo âmbito da Prefeitura de Macaíba, o secretário da Educação, sociólogo Domingos Sávio, e buscam avançar com qualidade social na política pública de resgate e valorização das tradições e da cultura dos índios, que são verdadeiramente ancestrais da terra, mas também são cidadãos brasileiros e macaibenses dos tempos atuais.

A comunidade indígina de Tapará, já reconhecida pela Funai (Fundação Nacional do índio), encaminha agora junto a municipalidade macaibense lutas antigas por seus direitos básicos à saúde e a educação. O acesso a uma unidade de ensino diferenciada, intercultural, bilíngue/multilíngue e comunitária, é um direito dos povos nativos amparado pela Constituição Federal, LDB, Lei 11.645/2008 e pelo Decreto n. 26/1991.

Na comunidade do Tapará o ensino indígena ocorrerá, inicialmente, na Escola Municipal Luis Cúrcio Marinho, que ainda é uma unidade de ensino regular de Macaíba. Segundo o secretário Domingos Sávio, a transformação deste estabelecimento em escola indígena teve início há pouco tempo porque o município não tinha sistema de ensino próprio. “Com a criação do Sistema de Ensino de Macaíba, a Coordenação da Educação de Jovens e Adultos, EJA, recebeu a atribuição de coordenar também a Educação Escolar Indígena, a Quilombola e a Diversidade”, explica o secretário.

Para o sociólogo Domingos Sávio, está se avançando, poder público municipal e comunidade indígena, em busca de uma escola que oportunize o saber formal e universal da edução com a interação com os costumes e o saber próprio da cultura de raiz de nossos ancestrais.

Domingos explica que há duas modificações a serem feitas: a burocrática e a pedagógica. A documentação necessária à transição para a escola indígena deverá ser entregue ao Conselho Municipal de Educação até o final deste ano para análise e deliberação. A constituição de currículo específico indígena será feita com a participação da comunidade do Tapará. Serão realizadas audiências públicas com essa finalidade. O secretário tranquiliza os estudantes em relação aos conteúdos da Base Curricular Nacional. “Os conteúdos necessários à formação para os exames federais serão mantidos no contra turno, a escola funcionará em tempo integral”, reforça.

As adequações da secretaria de educação do município devem demorar menos de um ano para serem concluídas. A expectativa é que a implantação ocorra até o início de 2019. Segundo informou o Cacique Luis Catu, o processo de criação da escola indígena da sua aldeia em Canguaretama, demorou mais de 8 anos para ser concluído. Em Macaíba, os vereadores já reconhecem a relevância da causa e já há até proposta de modificar o nome da escola para um nome indígena indicado pelo povo Tapuia.

A equipe técnica, que está à frente do trabalho de avançar para a primeira escola indígena de Macaíba, é liderada pelo professor Rogério Ferreira, está buscando capacitação para dar conta dessa demanda, que não deixa de ser histórica, e tem participado de diversas qualificações e debates, marcando presença inclusive no Encontro Nacional para implementação da Educação Indígena, em Fortaleza.

O secretário Domingos Sávio destaca também a importância da parceria com o Instituto Federal de Canguaretama, que foi essencial para a criação da primeira escola indígena naquele município e que vem orientando os técnicos da Secretaria de educação de Macaíba. Por outro lado, Já foram iniciados os debates sobre a Escola em audiência pública na Câmara Municipal com participação de representantes da comunidade e do movimento indígena do Rio grande do norte. 

Concurso público

O secretário de educação informou em primeira mão que o próximo concurso público a ser realizado no município já incluirá vagas específicas para professores indígenas visando suprir a demanda de Tapará.

A palavra do nativo

O índio Tapuia Jerônimo Campelo mostra com orgulho os utensílios do artesanato indígena utilizados em suas manifestações culturais. Josué Jerônimo é filho de dona Benedita, artesã, uma das índias mais idosas do povo Tapuia na comunidade Tapará, em Macaíba.

Ele é funcionário de uma escola federal, mas dedica parte do seu tempo livre a dar oficinas para resgatar e aprofundar os saberes do povo indígena. Falante e desinibido, acolhe a reportagem com simpatia em sua barraca na Feira Indígena do Tapará, onde expôs a importância da educação escolar indígena para o movimento que autodeclara e reafirma o povo do Tapará como índios Tapuia. Ele nos conta com tristeza, e sua mãe reforça os detalhes, que as terras do Tapará, bem como a comunidade vizinha, Lagoa do Mato, pertenciam ao povo Tapuia e que os latifundiários vindos de fora estão desmatando e plantando capim. Perseguidos, os índios foram se espalhando e hoje o movimento indígena tenta restaurar os costumes e tradições e unir o povo em defesa de sua ancestralidade. Para Jerônimo, a implantação da educação escolar indígena é essencial para formar as novas gerações e evitar que a cultura Tapuia se perca. “É também muito importante que o ensino seja feito por pessoas da comunidade, que leve em conta a cultura, os costumes e as particularidades da comunidade”, complementa.

Educação física indígena

A recreação e prática esportiva em unidades de ensino dentro de aldeias seguem rituais próprios, e os Tapuia tem sua contribuição a dar para o ensino da educação física. Além de praticarem a “corroveara” - Corrida da tora, esporte indígena em que correm com um pedaço de tronco de carnaúba (tora) no ombro, os Tapuia também jogam peteca, jogo genuinamente indígena e brasileiro que originou o esporte olímpico badmínton. O índio Jurandir Santos da Silva, ou Jurandir Tapuia, por sua vez, revela gostar também de futebol e futsal. “Há quatro anos fundamos o time dos índios Tapuia e já participamos do campeonato de Macaíba”, afirma orgulhoso exibindo a camisa oficial da equipe e o primeiro troféu conquistado em torneio neste ano.

Mães indígenas

A mãe Adriana da Silva afirmou não se opor em nada. “Nós somos Tapuia, acho interessante que as crianças aprendam a língua indígena. E é muito bom que a escola seja integral porque mantém os nossos jovens na escola o dia todo”. Algumas mães de alunos da escola Luís Cúrcio Marinho que ainda não se declaram indígenas afirmam que não estão informadas de todo o processo, mas esperam que os conteúdos necessários para os exames das escolas federais sejam mantidos.

Movimento indígena do RN

José Luiz Soares, ou Cacique Potiguara Luiz Catu, é líder do Movimento indígena do RN e esteve na audiência pública na Câmara de vereadores de Macaíba. Ele declara que esta luta por educação escolar indígena no Tapará é parte de um movimento maior, que começa a se organizar ainda no ano 2000 entre os municípios de Goianinha e Canguaretama, na Aldeia Catu.

“A busca de políticas públicas para o povo indígena do RN intensificou-se em 2005 com a realização da primeira Audiência pública voltada para a questão indígena na Assembléia Legislativa do RN. Na ocasião apresentamos um abaixo-assinado com pontos estratégicos da nossa luta. Reivindicávamos que os governos federal, estaduais e municipais, além das universidades e demais instituições, reconhecessem os povos aldeados e as etnias existentes no RN. A partir dali tivemos várias conquistas, entre ela elas a implantação da primeira escola indígena do RN em nossa aldeia Catu e conseguimos trazer a Funai para o RN”, relembra Luís.

Atualmente o movimento indígena integra a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil – APIB e tem representantes nas principais organizações e entidades de defesa dos índios no país. No RN são realizadas assembleias a cada dois anos, nas quais os 9 povos indígenas têm a oportunidade de debater com todos os órgãos estaduais e municipais as políticas públicas para a saúde, a educação e o etnodesenvolvimento. 

A Audiência Pública por Educação Escolar Indígena de Qualidade, realizada pela Câmara Municipal de Macaíba, no dia 08/05, foi a terceira no estado. A primeira aconteceu em Canguaretama e a segunda foi em João Câmara. Neste ano de 2018 várias audiências ainda serão realizadas com o mesmo objetivo. “A Educação Escolar Indígena de Qualidade é uma forma de mudar, de ter uma resistência maior. As escolas que atendem aos Curumins das nove aldeias precisam se adequar às necessidades de aprendizagem destas comunidades", conclui o Cacique Luis Catu.


Audiência pública para primeira escola indígena de Macaíba (Foto: Folha de Macaíba)
Desemprego recua para 12,9% e atinge 13,4 mi de pessoasA mediana das previsões em pesquisa da agência Reuters era de que a taxa ficaria em 13% no período.

O índice de desemprego no Brasil recuou para 12,9% no trimestre encerrado em abril. Isso significa que 13,4 milhões de pessoas estão desempregadas no país. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (29) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), por meio da pesquisa Pnad Contínua.

A taxa ficou um pouco abaixo da registrada no trimestre móvel encerrado em março, de 13,1%, voltando a cair após 3 altas consecutivas. O índice também ficou abaixo do registrado em igual trimestre móvel do ano passado, de 13,6%, quando havia 14 milhões de desempregados.

Na comparação com o trimestre de novembro de 2017 a janeiro de 2018 (12,2%), entretanto, a taxa de desocupação cresceu 0,7 ponto percentual.

A mediana das previsões em pesquisa da agência Reuters era de que a taxa ficaria em 13% no período.

Os dados do IBGE sugerem, entretanto, que o recuou do desemprego deve-se ao desalento dos trabalhadores, e não exatamente à melhora do mercado de trabalho. Nos três meses até abril, o país somava 65,2 milhões de pessoas fora da força de trabalho, contra 64,9 milhões no trimestre até março.

População ocupada cai quase 1 milhão em 3 meses

A população ocupada cresceu 1,7% na comparação anual, para 90,7 milhões de pessoas. Na comparação com o trimestre encerrado em janeiro de 2018, entretanto, recuou 1,1%, uma diminuição de quase 1 milhão de pessoas.

Para o coordenador de Trabalho e Rendimento do IBGE, Cimar Azeredo, a redução da população ocupada mostra que o mercado não segurou os trabalhadores contratados temporariamente no final do ano. “A efetivação destas contratações não ocorreu”, destacou.


(Foto: CUT)
Mercado aumenta estimativa de inflação para 3,5%As estimativas são do Boletim Focus, publicação divulgada todas as semanas pelo Banco Central (BC), na internet.

O mercado financeiro aumentou a projeção de inflação para este ano. A estimativa para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu de 3,45% para 3,50%. Para 2019, a projeção foi ajustada de 4% para 4,01%.

As estimativas são do Boletim Focus, publicação divulgada todas as semanas pelo Banco Central (BC), na internet.

As expectativas para a inflação estão abaixo da meta que é 4,5% neste ano, com limite inferior de 3% e superior de 6%. Para 2019, a meta é 4,25%, com intervalo de tolerância entre 2,75% e 5,75%.

Taxa básica de juros

Para alcançar a meta, o banco usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, atualmente em 6,50% ao ano. Quando o Comitê de Política Monetária (Copom) do BC aumenta a Selic, o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso gera reflexos nos preços, porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

Quando o Copom diminui os juros básicos, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle sobre a inflação. Para cortar a Selic, o BC precisa estar seguro de que os preços estão sob controle e não correm risco de subir.

Na última semana, surpreendendo o mercado, o Copom decidiu manter a Selic em 6,5% ao ano. A decisão interrompeu um ciclo de 12 quedas consecutivas. A taxa Selic, no entanto, permanece no menor nível desde o início da série histórica do Banco Central, há 32 anos.

O comitê avaliou que o “cenário externo tornou-se mais desafiador e apresentou volatilidade [fortes oscilações]”. Essa decisão ocorreu dias depois do país enfrentar uma valorização expressiva do dólar, o que torna produtos importados mais caros.

Para o mercado, a Selic deve voltar a subir no próximo ano. A previsão é que a taxa encerre 2019 em 8% ao ano.


(Foto: Divulgação)
Educação Empreendedora chegará a 5 mil alunos no RNEm 2017 o “Despertar” capacitou 127 professores, contemplou 112 escolas, e alcançou 84 municípios,

Para promover cursos de empreendedorismo para estudantes da rede estadual de ensino, através do programa de Educação Empreendedora, a Secretária de Educação do RN, Cláudia Santa Rosa, assinou hoje (11) o termo de renovação da parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), representado pelo Diretor Superintendente, Zeca Melo. A solenidade aconteceu durante a manhã na sede do SEBRAE e contou com a participação de diretores das regionais de ensino, técnicos da SEEC e do próprio Sebrae.

A parceria para esse projeto, entre SEEC e SEBRAE já existe há 15 anos, e leva para os alunos da rede cursos voltados para o empreendedorismo como o Curso Despertar, que desde seu primeiro ano de implantação já beneficiou mais de 46 mil estudantes do ensino médio da rede distribuídos, em 113 municípios. Em 2018, a expectativa é mobilizar em torno de 5.134 alunos.

“Esse é um dos programas mais antigos da SEEC, um verdadeiro de case de sucesso. Os envolvidos são apaixonados por ele. A educação empreendedora é muito importante para o desenvolvimento dos alunos de nossas escolas”, disse a Secretária.

O diretor superintendente, presente na solenidade, também se mostrou animado com a renovação da parceria. “O curso “Despertar” é um grande projeto que o Sebrae tem prazer em fazer parte e contribuir em seu crescimento. Estive na assinatura do primeiro termo há 15 anos atrás e hoje poder ver resultados tão grandiosos é muito gratificante”, comentou.

Além do Curso Despertar, que é direcionado para os estudantes do ensino médio, a parceria vai promover também o Curso Crescendo e Aprendendo, voltado para os alunos da Educação de Jovens e Adultos. O curso tem como objetivo discutir com os jovens sobre trabalho, negócios e empreendedorismo, visando que ele conheça esse universo e possa identificar oportunidades por meio da adoção de atitudes empreendedoras. Os estudantes da educação profissional também serão beneficiados com uma disciplina voltada para o empreendedorismo adicionada à grade.

O curso está dividido em 22 encontros presenciais em sala de aula (44 horas), atividades de campo (16 horas) e a realização da Feira do Empreendedor (10 horas). As escolas interessadas deverão através do seu diretor buscar as diretorias regionais da Secretaria Estadual de Educação e Cultura (SEEC) e mostrar interesse na adesão do curso juntamente com a indicação de um professor que será capacitado pelo Sebrae.

Em 2017 o “Despertar” capacitou 127 professores, contemplou 112 escolas, e alcançou 84 municípios, fortalecendo a permanência do aluno em sala de aula na perspectiva de levar conhecimentos inovadores, evitando a evasão escolar.

Após a assinatura, o consultor Saulo de Diniz, ministrou a palestra “Sou despertar, qual a minha missão?” para os participantes. A assinatura do termo garante a renovação da parceria por dois anos.


Foto: Sebrae
Sebrae/RN lança programa dedicado a energia fotovoltaicaOs beneficiários diretos são os consumidores, as empresas prestadoras de serviços as empresas que desenvolvem equipamentos e componentes para o setor.

Em tempos de sustentabilidade e da busca pela tão propalada eficiência energética, a energia solar fotovoltaica é considerada por especialistas, pesquisadores e empresas geradoras e consumidoras como uma das alternativas mais viáveis para empresas de diversos portes, sobretudo para o segmento das micro, pequenas e médias empresas do Nordeste brasileiro.

Prova disso é o interesse que essa tecnologia vem despertando em investidores e empreendedores do Rio Grande do Norte e de outros Estados do País. O Sebrae do Rio Grande do Norte em parceria com a Comissão Temática de Energias Renováveis – COERE, o Sistema Fiern, Banco do Nordeste, a Companhia Energética do Rio Grande do Norte (Cosern) e o Centro de Tecnologia do Gás e Energias Renováveis (CTGAS), lançou nesta quinta-feira (3) o Programa RN Solar para uma plateia de empresários e representantes de instituições ligadas ao setor. Moraes Neto

O programa tem com um dos seus principais objetivos promover o crescimento e a capacidade instalada para geração distribuída de energia solar, bem como fortalecer a cadeira produtiva do setor de energia solar fotovoltaica e estimular a criação e o desenvolvimento de empresas inovadoras, a partir de fontes renováveis. Os beneficiários diretos são os consumidores, as empresas prestadoras de serviços de montagem, instalação e engenharia e as empresas que desenvolvem equipamentos e componentes para o setor.

Na visão do presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae-RN, José Álvares Vieira, a energia fotovoltaica é um tema de extrema relevância para o Rio Grande do Norte, que poderá perfeitamente tornar-se uma referência na geração de energias renováveis para o setor de agronegócios, por exemplo. “O Sebrae não poderia ficar de fora de um projeto dessa magnitude, justamente na questão de geração de energias renováveis de modo geral para a micro e pequena empresa. Eu vejo que isso é um ganha-ganha para todos e o Sebrae preocupado em promover as pequenas empresas, sobretudo na questão de prestação de serviços, do eletricista, do montador, entre outros. Creio que ainda precisamos avançar muito na questão de legislação. O Programa RN Solar é justamente agora a grande cereja do bolo e temos um potencial extraordinário, comparado com outros estados, porque nós, por natureza, temos o sol durante o ano todo”, afirma José Vieira.

Entusiasta do sistema de energias renováveis, o diretor superintendente do Sebrae no Rio Grande do Norte, José Ferreira de Melo Neto, explica que a ideia é que as pequenas empresas busquem no Sebrae informações estruturadas sobre as empresas prestadoras de serviços e sobre toda a jornada necessária à instalação de energia solar fotovoltaica iniciando pelo estudo de viabilidade de acordo com o perfil da empresa, seguido de um projeto técnico, financiamento, liberação com base na viabilidade de integração à rede de energia elétrica, contratação, instalação, comissionamento e economia. Tudo isso com o suporte de instituições como o próprio Sebrae, o CTGÁS Energias Renováveis, a Cosern e o Banco do Nordeste, atualmente o principal agente financeiro.


(Foto: Revisa Mineração)
Potencial energético do RN continua em expansãoEm 1º de maio, o Rio Grande do Norte contabilizará 136 parques eólicos, gerando 3.678,9 MW.

Em janeiro de 2017, o Rio Grande do Norte possuía 122 parques eólicos em operação, gerando 3.311,6 MW. Contava com outros 16 parques em construção, programados para gerar 417 MW e, aguardando o início das obras, porém com contratos firmados, 38 novos parques.

Em janeiro de 2018, as usinas de geração chegaram a 131 parques em operação, gerando 3.552,7 MW, enquanto havia 21 em construção (com expectativa de produção de mais 507,9 MW).

Em 1º de maio, o Rio Grande do Norte contabilizará 136 parques eólicos, gerando 3.678,9 MW.

O crescimento constante da produção de energia a partir das eólicas no Estado mostra que ainda há espaço para investimentos no setor, a partir dos leilões realizados pela Aneel. Quanto à produção de energia fotovoltaica, os quatro primeiros parques entraram em operação no final do ano passado; mas, há dezenas de projetos licenciados que deverão concorrer no próximo leilão de compra de energia.

Na avaliação do Coordenador da Secretaria de Desenvolvimento Econômico-Sedec, Josenilson Araújo, os números confirmam que, apesar da crise econômica nacional, os investimentos em projetos de produção de energia limpa no Estado continuarão em expansão nos próximos anos.


(Foto: CRB RN)
Educadores da região agreste debatem preservação ambientalIDEMA realiza cursos de formação para professores da Região Agreste

Técnicos do Núcleo de Unidades de Conservação (NUC) e da Subcoordenadoria de Planejamento Ambiental (SPEA) do IDEMA realizam na região agreste do estado, cursos de formação para professores de escolas públicas.

O projeto busca apresentar para os educadores a importância das Unidades de Conservação do Estado (UCs) e possibilitar que eles conheçam a Área de Proteção Ambiental (APA) Piquiri-Una que abrange 5 municípios da região. Também dentro da formação, os educadores aprimoram conhecimentos sobre a importância e riquezas da fauna e flora, para que possam repassar o que aprenderam e atuar como multiplicadores nas escolas, incentivando crianças, jovens e adultos a preservarem o meio ambiente.

Nessa sexta-feira, 20/04, as ações estão sendo realizadas em Goianinha. Participam do curso, cerca de 500 professores, divididos em dois turnos, manhã e tarde. O Prefeito de Goianinha, Berg Lisboa, secretários e apoiadores do projeto, prestigiam a ação.

Na última quarta-feira, 18/04, o IDEMA realizou a primeira edição do curso no município de Espírito Santo que contou também com o apoio da Prefeitura Municipal. Na ocasião, cerca de 90 professores participaram da capacitação.

“O curso de formação para professores do interior do estado é importante para que eles conheçam as riquezas das Unidades de Conservação, preservem essas áreas e trabalhem a consciência ambiental dos alunos. O nosso desejo é ampliar esse trabalho para vários municípios do estado”, ressaltou Rondinelle Oliveira, Diretor-geral do IDEMA.


(Foto: Assessoria)
Natal: Ivan Maciel lança obra sobre Machado de AssisO livro "Machado que eu li" analisa conto, crônicas e romances do autor

O escritor Ivan Maciel de Andrade lança nesta quinta-feira (19), às 18h, o livro "Machado que eu li". O lançamento acontece na sede da Academia Norte-rio-grandense de Letras, na rua Mipibu, bairro de Petrópolis.

O livro é um conjunto de 110 artigos escritos por Ivan Maciel e publicados nas páginas da Tribuna do Norte. Em seus artigos, Ivan Maicel aborda diferentes ângulos da vida de Machado de Assis, patrono da Academia Brasileira de Letras, e analisa a partir de seu próprio ângulo de visåo os principais romances, contos e crônicas do autor.

"Os estudos acadêmicos sobre Machado de Assis são incontáveis. Frequentemente são publicadas teses de mestrados e de doutorado sobre ele, no Brasil e no exterior. Meu  livro tem essa singularidade: é um livro sobre Machado de Assis em forma de artigos", ressalta Ivan Maciel em entrevista ao jornal Tribuna do Norte.

Professor, procurador e escritor, Ivan Maciel de Andrade desde sempre é um entusiasta pela leitura e admirador das obras de Machado de Assis e de outros grandes expoentes da literatura brasileira como Guimarães Rosa.


Ivan Maciel de Andrade (Foto: Blog Carlos Santos)
Economia apresenta retração em fevereiro, diz FGVO PIB retraiu 0,3% em fevereiro, quando comparado ao mês de janeiro, na série com ajuste sazonal.

A economia brasileira retraiu em fevereiro, segundo dados do Monitor do PIB-FGV, divulgados pela Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta quarta-feira (18). O PIB retraiu 0,3% em fevereiro, quando comparado ao mês de janeiro, na série com ajuste sazonal.

Para Claudio Considera, coordenador do Monitor do PIB-FGV, as taxas de crescimento de fevereiro são menores do que as divulgadas em janeiro, o que pode significar perda de fôlego da recuperação cíclica.

O Produto Interno Bruto (PIB) é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país e serve para medir a evolução da economia.

Na série com ajuste sazonal, no trimestre móvel terminado em fevereiro, a variação foi positiva em 0,6%, em comparação ao trimestre móvel terminado em novembro de 2017.

Desempenho por setores no trimestre

Na comparação com o trimestre terminado em fevereiro de 2017, o PIB foi positivo em 1,7%. Os destaques positivos são o crescimento das atividades de transformação (5,4%) e comércio (4,7%). Em contrapartida, a atividade agropecuária retraiu 1,7%, após 13 meses consecutivos de crescimento. No entanto, à exceção da transformação, todos as demais atividades industriais apresentaram retração. Já no setor de serviços, apenas a administração pública teve queda (-0,1%).

O consumo das famílias apresentou crescimento de 2,5%. Apesar de todos os componentes do consumo das famílias terem apresentado taxas positivas, houve desaceleração do crescimento em comparação com a taxa trimestral móvel finda em janeiro. A exceção foi o consumo de produtos duráveis, que cresceu 12,6% no trimestre findo em fevereiro, e havia crescido 8,9% no trimestre findo em janeiro.

A formação bruta de capital fixo, que mede o quanto as empresas aumentaram os seus bens de capital, ou seja, aqueles bens que servem para produzir outros bens, continua em trajetória ascendente, com crescimento de 4,4%. O desempenho se deve, principalmente, a máquinas e equipamentos, que cresceram 17,2% no período. A construção continua em retração (-1,8%).

A exportação apresentou crescimento de 5,5%. A exportação de produtos agropecuários continua sendo destaque, com crescimento de 39,1%, seguido de bens de capital (37,8%). Em contrapartida, a exportação de produtos da extrativa mineral segue em retração alcançando -21,6%, menor taxa registrada desde o trimestre móvel findo em junho de 2013 (-25,6%), explicada, principalmente pela queda da exportação de minério de ferro.

A importação cresceu 2,8%, com destaque para o desempenho da importação de produtos agropecuários, que recuou 16,4%. De destaque positivo, a importação de serviços cresceu 8,1%. Com informações do portal G1. 


(Foto: Exame)
Copa do Mundo já mexe com a economia brasileiraO destaque positivo foram os Bens de Consumo Duráveis, com crescimento de 1,7% sobre janeiro e de 15,6% sobre fevereiro do ano passado.

A Copa do Mundo da Rússia só começa em 14 de junho, mas seus efeitos já começam a aparecer nas estatísticas.

É o que mostram os números de produção industrial de fevereiro no Brasil, divulgados na manhã desta terça-feira (03) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O destaque positivo foram os Bens de Consumo Duráveis, com crescimento de 1,7% sobre janeiro e de 15,6% sobre fevereiro do ano passado.

Dentro desta categoria, que abrange o setor automobilístico e de eletroeletrônicos, chama a atenção a alta específica do setor de eletrodoméstico da chamada linha marrom.

Essa linha, que inclui televisores, aparelhos de som e similares, teve um aumento de 41,1% em fevereiro em relação ao mesmo mês do ano passado.

“Esse crescimento já era esperado, porque, tradicionalmente, há uma produção expressiva de TVs nos três meses anteriores à Copa do Mundo” explicou o gerente da pesquisa, André Macedo, em nota.

Indústria fraca

A recuperação da linha marrom foi um alívio porque o resultado geral de fevereiro decepcionou: a alta de apenas 0,2% em relação a janeiro foi uma fração do que estava sendo previsto em pesquisa da Reuters (0,55%) e pelo Itaú (0,6%).

Também foi a menor taxa para o mês desde a queda de 1,4% em 2016, e ficou longe de recuperar a perda de 2,2% registrada em janeiro.

Houve forte influência negativa de recuos na indústria extrativa (queda de 5,2% dessazonalizada) e pela produção de produtos farmacêuticos (queda de 8,1%).

Mas outros indicadores são mais auspiciosos, como os de mercado automotivo, divulgados também nesta terça-feira (03) pela Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

O mercado brasileiro de veículos novos terminou o primeiro trimestre deste ano com o maior número de vendas para o período desde 2015. Foram 545,5 mil unidades emplacadas, crescimento de 15,6% em relação ao mesmo período do ano passado.


(foto: MKT esportivo)
Energia Eólica no RN recebe R$ 434 mi no bimestreDe acordo com o banco, a soma de investimentos no RN foi 48,5% maior que o valor liberado no mesmo período do ano passado.

O setor de energia eólica foi responsável por 97% dos financiamentos liberados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) ao Rio Grande do Norte, no primeiro bimestre deste ano. Foram mais de R$ 434 milhões investidos no segmento, de um total de R$ 446,3 milhões que chegaram ao estado.

De acordo com o banco, a soma de investimentos no RN foi 48,5% maior que o valor liberado no mesmo período do ano passado. Os investimentos em energia eólica fizeram o setor de infraestrutura, da qual ela faz parte, ter o maior crescimento: de 55%.

Apesar de o setor agropecuário também ter tido um crescimento do mesmo porte (55%), o volume de recursos foi bem menor. Ficou em R$ 2,2 milhões. Ao setor de comércio e serviços, foram destinados R$ 5,2 milhões e a indústria potiguar recebeu R$ 1,8 milhão.

Para as micro, pequenas e médias empresas (MPMEs) potiguares, foram liberados R$ 32,2 milhões, distribuídos em 457 operações de créditos diferentes.


(Foto: Blog do BG)
Acesso do Distrito Industrial de Macaíba será pavimentadoA Associação das Empresas do Polo Industrial de Macaíba destaca que a obra vai permitir mais produtividade

O Governo do Estado assinou a ordem de serviço para pavimentação do acesso ao Distrito Industrial de Macaíba (DIM). O investimento é de mais de R$ 1,5 milhão numa extensão de 2,2 quilômetros. A estrada é localizada entre os municípios de Macaíba e Parnamirim, com início na lateral da fábrica da Coca-Cola, na margem da BR-304.

“Uma reivindicação de 20 anos dos industriais de Macaíba. Esta obra vai beneficiar a produção e as pessoas. O acesso pavimentado vai proporcionar melhor tráfego e economia para a produção, facilitar o acesso aos 2.600 trabalhadores das empresas aqui instaladas”, afirmou o governador Robinson Faria.

A pavimentação também vai permitir que as empresas de transporte coletivo ofereçam linhas regulares de acesso àquela região, vai permitir a coleta de lixo que hoje não existe por que os caminhões coletores não têm acesso, e também o serviço de entrega dos Correios. Hoje as empresas têm que contratar caixa postal ou pegar no aeroporto suas encomendas.

O presidente da indústria de temperos Sadio, Sandro Peixoto, disse que “o atual Governo não esqueceu os industriais e acredita e investe na geração de emprego e renda. Temos aqui casos de caminhões que tombam, buracos. Agora isso será solucionado com a ação do Governo do Estado em pavimentar o acesso”. Leia matéria completa no jornal Folha de Macaíba.


(Foto: Divulgação)
Educadora analisa livro Programa Exame de AdmissãoLivro marcou época durante décadas no ensino fundamental brasileiro. Substituído por variadas obras didáticas, ainda deixa saudades

Matemática, Português, História e Geografia eram de fato os protagonistas do famoso livro "Programa de Exame de Admissão" que marcou a vida de milhões de brasileiros por décadas. Embora já parte de um passado que não tem como retornar, o livro é observado como consistente naquilo que se propunha a ser - um conjunto de conteúdos fundamentais para  o exercício da prática ensino/aprendizagem nas escolas brasileiras envolvendo alunos e professores no período de transição entre o primário (hoje, primeiras séries do Fundamental) e o ginásio (hoje, últimas séries  do Fundamental).

A educadora Maria das Graças Baracho  analisa o livro sob os aspectos do tempo no qual foi feito e do lugar no qual se inseriu. "O lugar e o tempo da produção de um livro são fundamentais para a compreensão do seu conteúdo",diz. No caso, não se considera uma análise do livro enquanto conteúdos apresentados, mas de sua proposta pedagógica.

"Esse livro, em sua 16ª edição, se constituía à época, num manual de orientação para todos os alunos que concluíam a quarta série do ensino primário, o que corresponde hoje as quatro primeiras séries do ensino fundamental, e para ter acesso a 5ª série, necessitava se submeter ao chamado Exame de Admissão", conta Graças Baracho.

O livro trazia todos os conteúdos necessários e exigidos para o exame e na sua composição abrangia conteúdos de português, matemática, história e geografia. A primeira edição ocorreu em 1959, com o título de “Programa de Admissão”, textos organizados pelos professores Aroldo de Azedo, Joaquim Silva, José A. Penteado, Domingo Paschoal Cegalla e Oswaldo Sanglorgi e outros. Antes existia outro livro com nome semelhante e escrito também por renomados professores, editado pelo Editora Brasil S/A no ano de 1943, com mais de 550 edições.

Para a época e de acordo com o objetivo ao que o livro se propunha, que era o de preparar para a série seguinte, no caso, a 5ª série e última do ensino primário, ele representava o que se tinha de mais avançado na década de 1960. Diante da escassez de material didático nas escolas, o livro era um instrumento suficiente para se ser aprovado, desde que o candidato tivesse o seu total domínio. Além dos conteúdos propostos no livro eram acrescidos exercícios de fixação a serem copiados em cadernos e respondidos como forma de testar os conhecimentos de cada candidato.

Livro utilizado para estudar e lecionar

"Fui uma das estudantes que utilizou o livro para estudar para o exame de admissão, como também para lecionar nos anos de 1970 na 4ª série do 1º grau (hoje ensino fundamental) no Colégio Sagrada Família. Esse livro ofereceu muitos subsídios no planejamento de aulas, principalmente nos conteúdos relativos a língua portuguesa e a matemática", relata Graças Baracho, professora com doutorado em Educação.

"Na década de 1980, esse livro ainda era presença em minha casa, pois se constituía numa das fontes de pesquisa dos meus filhos, estudantes das 3ª e 4ª séries do 1º graus. Apesar do livro favorecer a ampliação dos conhecimentos, não podemos deixar de reconhecer que o exame de admissão era uma estratégia de seletividade da população jovem, pois não sendo aprovado no exame, o aluno não tinha direito de dar continuidade aos estudos para cursar a 5ª série e último ano do antigo ensino primário", completa Maria das Graças Baracho.

Cartilha Caminho Suave

Na terça-feira, 27 de fevereiro, se comemorou (se é que se tem algo a comemorar) o Dia do Livro Didático. Nesse contexto vale a pena lembrar da famosa cartilha Caminho Suave, atualmente publicada pela Edipro. Criada em 1948, por Branca Alves de Lima (1911-2001), educadora brasileira, a cartilha foi utilizada como livro oficial pelo governo federal para alfabetização durante quase cinquenta anos, alcançando uma marca de mais de 40 milhões de exemplares vendidos e 132 edições.

A autora formou-se na Escola Normal do Braz (atual Escola Estadual Padre Anchieta), São Paulo, em 1929, e lecionou por quinze anos. Ela desenvolveu a Caminho Suave baseada em sua experiência com os alunos em classe, e depois veio a fundar a própria editora. A intenção da publicação era extinguir o analfabetismo no Brasil. Não conseguiu, obviamente. O analfabetismo é algo intrínsico ao próprio modo de encarar a vida do brasileiro.

Com esse propósito de extrema ambição (extinguir o analfabetismo no Brasil a partir de uma cartilha), o projeto partiu para utilizar ilustrações que se assemelham às letras, e foi nomeado pela própria Branca como “Alfabetização pela Imagem”, assim o aluno faria a associação por imagens e palavras-chave. Os discentes automaticamente vinculavam a letra com a imagem, como exemplo, o rabo de um cachorro era desenhado a partir da letra “c”, ou mesmo, a alça da jarra a partir da letra “j”.

O sucesso do método fácil fez com que esta cartilha obtivesse a classificação de multifuncional, alfabetizando crianças, jovens e idosos. E é usada por estrangeiros em programa de alfabetização solidária.


Educadora Maria das Graças Baracho e capa do livro Programa Exame de Admissão
Saiba quais documentos servem para o IRPF 2018É importante as pessoas se organizarem para a entrega desse documento, evitando atrasos e erros no documento

O prazo para entrega da Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física 2018 – ano base 2017 – será de 1º de março até 30 de abril. Assim, é importante as pessoas se organizarem para a entrega desse documento, evitando atrasos e erros no documento.

“Sempre recomendamos que as pessoas se antecipem, exemplo é a própria Confirp que já estruturou uma área específica para tratar o tema, providenciando para os clientes a elaboração, análise e entrega de sua declaração. Mas, o primeiro passo para esse trabalho começa com o próprio contribuinte que tem que separar o quanto antes os documentos e informações que servirão de base para o preenchimento desse documento”, alerta o diretor executivo da Confirp Consultoria Contábil, Richard Domingos.

Ele informa que ainda não foi liberado o programa, nem as novidades para 2018, entretanto é possível se antecipar. Para tanto a Confirp detalhou os principais documentos e informações necessários para o preenchimento (outras informações podem ser encontradas no site da Confira: http://www.confirp.com.br/irpf/):

Informes de Rendimentos

• Informes de Rendimentos de instituições financeiras, inclusive corretora de valores;

• Informes de Rendimentos de Salários, Pró Labore, Distribuição de Lucros*, aposentadoria, pensões, etc;

• Informes de Rendimentos de aluguéis móveis e imóveis recebidos etc.;

• Informações e documentos de outras rendas percebidas no exercício de 2017, tais como doações, heranças, dentre outras;

• Livro Caixa e DARFs de Carnê-Leão;

• Informes de Rendimentos de participações de programas fiscais (Nota Fiscal Paulista, Nota Fiscal Paulistana, dentre outros).

Bens e direitos

• Documentos comprobatórios da venda e venda de bens e direitos ocorridas em 2017.Dívidas e ônus

• Documentos comprobatórios da aquisição de dívidas e ônus no ano de 2017.

Rendas variáveis

• Controle de compra e venda de ações, inclusive com a apuração mensal de imposto(indispensável para o cálculo do Imposto de Renda sobre Renda Variável);

• DARFs de Renda Variável.Pagamentos e deduções efetuadas

• Recibos de Pagamentos de Plano de Saúde (com CNPJ da empresa emissora);• Despesas médicas e odontológicas em geral (com CNPJ da empresa emissora);

• Comprovantes de despesas com educação (com CNPJ da empresa emissora, com a indicação do aluno);

• Comprovante de pagamento de previdência social e privada (com CNPJ da empresa emissora);

• Recibos de doações efetuadas;

• Recibos de empregada doméstica (apenas uma), contendo número NIT;

• Recibos de pagamentos efetuados a prestadores de serviços.Separar também informações gerais

• Nome, CPF, grau de parentesco e data de nascimento dos dependentes;

• Endereços atualizados;

• Cópia completa da última Declaração de Imposto de Renda Pessoas Física entregue;

• Dados da conta para restituição ou débitos das cotas de imposto apurado, caso haja;

• Atividade profissional exercida atualmente.


(Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Jornalistas escolhem mulheres destaque potiguar 2018Jornalistas votaram nas mulheres que mais se destacam em suas áreas de atuação no RN

A Revista Foco Nordeste antecipa suas homenagens ao Dia Internacional da Mulher, que acontece em 8 de março, e realiza pelo segundo ano consecutivo o Prêmio Mulher Destaque Potiguar neste mês de fevereiro. O Prêmio é concedido as mulheres com maior destaque nos vários segmentos da vida social do Rio Grande do Norte na opinião dos jornalistas dos vários órgãos locais de comunicação.

Participaram da enquete deste ano de 2018 para a escolha da Mulher Destaque Potiguar os jornalistas: Adriana Amorim,Allan Darlyson,Aluísio Lacerda,Aluísio Viana,Amaury Júnior,Bernadete Lago,Casciano Vidal,Carlos de Souza,Cefas Carvalho,Chagas Lopes,Conrado Carlos,Cristiane Macedo,Danilo Bezerra,Edson Benígno,Elias Rocha,Élida Mercês,Érica Lima,Flávia Freire,Flávia Pípolo,Flávio Rezende,Franklin Jorge,Freire Neto,Gleydson Batalha,Gustavo Farache,Ilana Albuquerque,Isaias Oliveira,Izaíra Thalita Lima,João Bosco Araújo,João Ricardo Correia,José Aécio Costa,Júlio Pinheiro,Liszt Madruga,Luciano Kleiber,Luis Antônio Felipe,Marcus César Cavalcanti,Margot Ferreira,Marília Rocha,Matheus Magalhães,Miguel Dantas Cavalcanti,Minervino Wanderley,Paulo Tarcisio Cavalcanti,Tadeu Oliveira, Tácito Costa.

 As 10 mulheres mais votadas pelos jornalistas (com cada um fazendo três citações) e que irão receber o Na apuração final, as dez mais votadas e classificadas para receberem o Troféu Mulher Destaque Potiguar foram:Ana Ruth Dantas (jornalista),Ângela Paiva Cruz (reitora da UFRN), Cláudia Santa Rosa (secretária da Educação do RN), Deliana Cascudo (promotora cultural), Eleika Bezerra (vereadora de Natal), Fátima Bezerra (senadora do RN), Larissa Dantas (engenheira, advogada e empresária), Rosalba Ciarlini (prefeita de Mossoró), Titina Medeiros (atriz nacional), Zenaide Maia (deputada federal)

71 mulheres foram indicadas pelos jornalistas no total da enquete. Também foram votadas: Alice Carvalho, Amanda Gurgel, Ana Adalgisa, Andrea Ramalho, Andressa Tavares, Camila Cascudo, Cibele Benevides, Civone Medeiros, Cláudia Clarissa Marques, coronel Margarida, Daniele Spinel, Denise Gaspar, Diana Fontes, Dinorá Simas, Diva Cunha, Dona Militana, Elaine Cardoso, Érika Zuza, Estela Dantas, Flávia Lisboa, Glorinha Oliveira, Gilka da Mata, Lúcia Montenegro, Ivone Vieira França, Josefa Avelino, Judith Nunes, Juliska Azevedo, Kátia Lopes, Lúcia Santos, Eudiane Macedo, Madre Carmem Alves, Magnólia Figueiredo, Márcia Maia, Margot Ferreira, Maria da Guia Medeiros, Marília Rocha, Marinalva Dantas, Marise de Castro, Mércia Carvalho, Miriam de Souza, Nathalia Bonavides, Nega Graça, Nelly Carlos, Nicole Passos, Nina Souza, Nilza Rebouças, Nizia Floresta, Noilde Ramalho, Regina Ferreira Ramos, Rizolete Fernandes, Roberta Sá, Rosania Bezerra Cruz, Rosário Cabral, Sheila Freitas, Uianê Câmara Pinto, Vera Santana, Vilma de Faria, Virna Dias, Wilma Wanderley, Zauleide Queiroz, Zélia Madruga.

Matéria completa sobre o Prêmio Mulher Destaque Potiguar sairá na edição deste mês de fevereiro da Revista Foco Nordeste.

A solenidade de premiação acontece no dia 27 deste mês de fevereiro na sede do Iate Clube do Natal, no bairro de Santos Reis.


Reitora Ângela Paiva é homenageada em 2017 e é uma das escolhidas em 2018 (Foto: Cícero Oliveira)
Natal tem aumento superior a 8% na cesta básica A cesta mais cara foi a de Porto Alegre (R$ 446,69), seguida do Rio de Janeiro (R$ 443,81) e São Paulo (R$ 439,20).

O custo da cesta básica – composta por alimentos essenciais – aumentou em 20 capitais brasileiras em janeiro, segundo pesquisa do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Foram registradas altas mais expressivas em João Pessoa (11,91%), Brasília (9,67%), Natal (8,85%), Vitória (8,45%) e Recife (7,32%). Goiânia (0,42%) e Manaus (2,59%) anotaram as menores taxas.

A cesta mais cara foi a de Porto Alegre (R$ 446,69), seguida do Rio de Janeiro (R$ 443,81) e São Paulo (R$ 439,20). Os menores valores médios foram encontrados em Salvador (R$ 333,98) e Aracaju (R$ 349,97).

No acumulado de janeiro de 2017 a janeiro de 2018, 14 cidades apresentaram queda, com destaque para Manaus (-9,93%), Belém (-9,70%) e Salvador (-7,16%). As altas mais expressivas ocorreram em Natal (3,11%) e Recife (2,90%).

O preço do tomate aumentou em todas as cidades, por conta da redução da área plantada e das chuvas. As taxas variaram de 6,94% em Goiânia a 94,03% em João Pessoa. Em 12 meses, todas as cidades tiveram alta, que variou entre 8,63% em Belém, e 104,28% em Curitiba.

Preço da banana sobe em 19 capitais

A banana, cujo preço foi estimado por média ponderada entre os tipos prata e nanica, acusou elevação em 19 capitais e queda em Aracaju (-6,63%). Os maiores aumentos de preço foram anotados em João Pessoa (25,57%) e Rio de Janeiro (15,50%). Em 12 meses, o valor médio da banana caiu em 19 cidades, com destaque para Belo Horizonte (-32,12%) e Brasília (-30,08%).

O feijão carioquinha, pesquisado nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, além das cidades de Belo Horizonte e São Paulo, sofreu queda, exceto em João Pessoa (0,21%).

Nas demais cidades, as taxas variaram entre -11,63% em Belém e -2,67% em Aracaju. O feijão preto diminuiu em Florianópolis (-12,55%), Vitória (-5,75%), Porto Alegre (-5,27%), Rio de Janeiro (-2,87%) e Curitiba (-0,27%).

Salário mínimo

Com base na cesta mais cara, a de Porto Alegre, o salário mínimo ideal para uma família de quatro pessoas deveria ser R$ 3.752,65, equivalente a 3,93 vezes o mínimo atual de R$ 954, segundo os pesquisadores. Há um ano, a estimativa era de R$ 3.585,05.


Preço da banana sobe em 19 capitais. (Foto: Intelidata)
1ª Campus Party Natal terá campeonato de foguetesEvento que congrega inovações tecnológicas terá como temática principal iniciativas aeroespaciais

A primeira edição da Campus Party Natal já tem data, local e primeiras atrações confirmadas. O evento, que abordará como temática central avanços e iniciativas no campo aeroespacial, acontecerá no período de 11 a 15 de abril no Centro de Convenções de Natal, na Via Costeira, Ponta Negra.

A novidade da Campus Party Natal será um campeonato mundial de protótipos de foguetes, que contará com o apoio do Centro de Lançamento da Barreira do Inferno, localizado na área de Ponta Negra, em Natal. O evento também conta com o apoio do Governo do RN e os ingressos estarão disponíveis a partir de 20 de fevereiro no site da Campus Party (http://brasil.campus-party.org/). A expectativa da organização é reunir 2 mil campuseiros na Arena e receber um público total de 50 mil visitantes na Open Campus (área aberta ao público).

Natal é a terceira cidade do Nordeste a receber a maior experiência tecnológica do mundo. “Estamos montando uma edição especial, buscando palestrantes de diversas áreas da tecnologia, e reunindo diversas referências da região, que é um dos principais polos de empreendedorismo digital do país. Além da temática aeroespacial, pretendemos abordar Realidade Virtual, Inteligência Artificial, além de temas que impactam a sociedade e que tenham a tecnologia como pano de fundo, como educação, mobilidade e segurança”, explica Tonico Novaes, diretor geral da Campus Party.

A Arena da Campus Party em Natal contará com quatro palcos - “Feel the Future”, “Creativity/Games”, “STEAM” e “Coders/Makers” - cujos palestrantes referência em suas áreas irão debater temas e tendências da atualidade. Serão mais de 250 horas de conteúdo, incluindo vários workshops para que os campuseiros possam trocar experiências e adquirir novos conhecimentos sobre desenvolvimento e programação, robótica, entre outros temas. Os campuseiros contarão ainda com Internet de altíssima velocidade de 20GB.

Os protótipos do campeonato mundial de foguete, que acontece pela primeira vez, serão expostos na área do estacionamento do Centro de Convenções. Oevento também abrigará um fórum aeroespacial para o compartilhamento de informações e de tendências sobre o desenvolvimento de veículos lançadores e pequenos satélites no país.

Já a Open Campus – área aberta ao público – contará com um palco chamado “Entrepreneurship” e potentes simuladores de realidade virtual e aumentada, competições de games com os títulos mais prestigiados do momento, corridas de drones com pilotos profissionais, apresentação de projetos acadêmicos e startups com ideias inovadoras e oficinas de robótica e linguagem de programação.

Áreas do evento

Startup & Makers - Área de empreendedorismo da feira que terá palestras e workshops gratuitos voltado para empreendedores;

Arena de Drones – No espaço, além de palestras e workshops, será realizada mais uma etapa do campeonato brasileiro de drones com pilotos profissionais;

Espaço Educação do Futuro – O espaço reunirá diversas atividades, como oficinas de linguagem de programação, palestras e debates sobre tendências para a educação;

Campus Kids – Espaço para interação com as crianças de forma lúdica, com o objetivo de aliar a educação com a tecnologia. As atividades são voltadas para um público de 4 a 17 anos, com a promoção de temas como robótica, pensamento computacional e atividades lúdicas off-line, além de peças teatrais.

A Campus Party é uma experiência tecnológica que reúne jovens geeks em um festival de inovação, criatividade, ciência, empreendedorismo e universo digital. Realizada pela primeira vez em 1997, na Espanha, a Campus Party conta hoje com mais de 475 mil campuseiros cadastrados em todo mundo, e já produziu edições em países como Espanha, Holanda, Alemanha, Reino Unido, Argentina, Panamá, El Salvador, Costa Rica, Colômbia e Equador, Itália e Cingapura. O evento está presente no Brasil há onze anos.

Com informações da Virta Comunicação Corporativa.


Campus Party é o maior evento de experiências tecnológicas do mundo (Foto: Correio Brasiliense)
WhatsApp lança novo app para micro e pequenas empresasAs empresas e os pequenos empresários poderão usar o serviço gratuitamente.

WhatsApp quer virar o canal oficial de contato entre companhias e clientes. A empresa lançou nesta quinta-feira (18) um novo aplicativo para pequenas empresas trocarem informações com seus consumidores. Entre as novas funções estão a de responder dúvidas e atender reclamações de forma automática, a qualquer hora do dia.

O serviço ainda não está disponível para os usuários brasileiros, mas será lançado nas próximas semanas. Já há testes com alguns usuários em fase piloto.

O app de bate-papo é usado por 1,3 bilhão de usuários em todo mundo. O Brasil é o segundo maior mercado do serviço. Só fica atrás da Índia.

“As empresas já usam o aplicativo para compartilhar informações com seus clientes”, disse Metu Singh, gerente de produtos do WhatsApp Business, ao G1. Quatro a cada cinco pequenas empresas no Brasil usam o WhatsApp como ferramenta de trabalho, apontou uma pesquisa da Morning Consult, feita a pedido do Facebook, dona do aplicativo de bate-papo.

O que o novo aplicativo fará é dar recursos adicionais (veja abaixo). O novo programa, chamado de WhatsApp Business, chega a cinco países (Estados Unidos, Indonésia, Itália, México e Reino Unido), mas será levado a outras regiões nas próximas semanas.

As empresas e os pequenos empresários poderão usar o serviço gratuitamente. Basta baixa o app e preencher um cadastro, com endereço, descritivo da empresa e um número de telefone vinculado. Não é necessário informar um CNPJ.

Segundo o WhatsApp, as contas serão verificadas para comprovar que o telefone é mesmo de determinada empresa. Com informações  do G1 Economina.


O app de bate-papo é usado por 1,3 bilhão de usuários em todo mundo. (Foto: Divulgação)
Medo de desemprego continua acima da média histórica Apesar da retração, o índice permanece 16,9 pontos acima da média histórica e se encontra entre os maiores valores da série.

O índice de medo do desemprego – na sondagem feita pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) – recuou dois pontos em dezembro de 2017, em comparação com setembro, e atingiu 65,7 pontos. Apesar da retração, o índice permanece 16,9 pontos acima da média histórica e se encontra entre os maiores valores da série.

Em comparação com dezembro de 2016, o índice de medo do desemprego apresentou alta de 0,9 ponto, indicando persistência da insegurança em relação à recuperação do mercado de trabalho, apesar dos sinais de recuperação da economia.

O índice de satisfação com a vida apresentou retração de 0,4 ponto em dezembro na comparação com setembro de 2017, atingindo 65,6 pontos. O índice permanece entre os valores mais baixos registrados na série histórica iniciada em 1996.

A série Medo do desemprego e Satisfação com a vida tem periodicidade trimestral e é elaborado pela CNI com base em pesquisa de opinião pública realizada pelo Ibope Inteligência.

A relevância desses indicadores reside no fato de que sua evolução ajuda a antecipar variações no ritmo de crescimento do consumo das famílias, bem como da atividade econômica como um todo.

O consumidor otimista tende a consumir mais. Quando ele está satisfeito com a vida e tem pouco medo de ser afetado pelo desemprego, tende a consumir mais, estimulando a atividade econômica.


A relevância desses indicadores reside no fato de que sua evolução ajuda a antecipar variações no ritmo de crescimento. (Foto: Cálculo Exato)
Matemático de Coimbra está em projeto de petróleo na UFRNO ganhador do Prêmio Lagrange, um dos maiores do mundo na Matemática, Luis Nunes Vicente, está atuando em projeto voltado para a localização e caracterização de jazidas de petróleo

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) recebe neste mês de dezembro a presença do professor português Luis Nunes Vicente, laureado nome da Ciência mundial, especialista em Matemática Aplicada no campo da Otimização. O professor Luiz Nunes, da Universidade de Coimbra, é ganhador de um dos maiores prêmios internacionais na Matemática, o Prêmio Lagrange, no ano de 2015. O Prêmio Lagrange, que acontece de 3 em 3 anos, é conferido por duas importantes instituições científicas – a Society for Industrial and Applied Mathematics (SIAM) e a Mathematical Optimization Society (MOS), a cientistas que se destacaram com trabalhos desenvolvidos internacionalmente na área da Otimização.

 O professor Luis Nunes Vicente está no Rio Grande do Norte participando de investigação científica da UFRN voltada para o desenvolvimento de Novos Métodos e Técnicas que objetivam a localização e caracterização de reservatórios (jazidas) de petróleo por meio da análise e interpretação de informações contidas em ondas sísmicas que são espalhadas e reemitidas no interior da Terra, sendo detectadas na superfície.

O projeto da UFRN, que tem a coordenação do professor Emérito da UFRN, Liacir dos Santos Lucena, procura melhorar a resolução das imagens representativas das estruturas do subsolo através da otimização da solução de um problema difícil, que consiste na inversão completa das formas de onda, da equação diferencial parcial que modela o comportamento das ondas sísmicas. Trata-se de um problema de alta complexidade, com um número elevadíssimo de incógnitas, no qual se procura estimar as propriedades físicas e a geometria das diferentes camadas e regiões abaixo da superfície, com base em poucas informações.  O que se pretende é conhecer as estruturas geológicas do subsolo, por meio do envio e do posterior retorno de ondas sísmicas após serem modificadas por meios materiais desconhecidos e desordenados. “Esse retorno oferece informações que depois permitem calibrar (ajustar) os modelos matemáticos que descrevem o subsolo. Essa calibração é feita com otimização matemática”, informa o professor Luis Nunes Vicente.

“O interior do nosso planeta apresenta estruturas complexas e heterogêneas, algumas das quais servem de indícios da provável existência ou ocorrência de petróleo ou gás natural.  Os dados ou informações obtidas pelas sondagens e prospecções sísmicas, extraídos dos sinais  das ondas sísmicas são escassos, quando comparados com o grande volume de grandezas desconhecidas, daí a necessidade da utilização de modelos físicos e matemáticos sofisticados, além de algoritmos intrincados e de cálculos numéricos efetuados em supercomputadores”, ressalta Liacir Lucena.

A otimização matemática permite o melhor conhecimento da jazida e enseja uma exploração petrolífera mais eficaz. Ajustando as respostas trazidas pelas ondas mecânicas, que são emitidas por uma fonte com grande energia e que se propagam abaixo da superfície, com os modelos matemáticos, pode-se saber ou inferir, por exemplo, quais as estruturas geológicas, tipos de rochas, geometria, presença de água e localização do óleo. “A otimização matemática, no caso, consegue minimizar os desajustes”, diz Luis Nunes Vicente.

O projeto desenvolvido pela UFRN conta com as participações do Departamento de Física Teórica e Experimental, do Departamento de Controle e Automação, do Programa de Pós-Graduação em Física, do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica, do Programa de Pós-Graduação em Ciência e Engenharia do Petróleo, e tem o apoio da SHELL dentro das regras estabelecidas pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

O projeto está sendo executado por uma equipe multidisciplinar da UFRN englobando físicos, matemáticos, engenheiros, geofísicos, especialistas em informática e ”experts” em computação de alto desempenho.  O grupo responsável pelo projeto inclui ainda cientistas e pesquisadores visitantes do Brasil e do exterior, 5 doutores em atividades de pós-doutorado escolhidos através de um processo de seleção de abrangência internacional , 5 estudantes de doutorado e 9 estudantes de mestrado, selecionados de forma similar, e parceiros de outras universidades e do CIMATEC, Centro de pesquisas ligado à Federação das Indústrias do Estado da Bahia.

O alcance da Matemática

“A Matemática, em sua versão mais clássica, estuda a “quantidade” (Algebra), a “variação” (Analítica) e a “forma” (Geometria), e faz isso substituindo o método experimental pela abstração e o rigor. Atualmente a Matemática também  estuda o ”incerto” (Probabilidade) e o “controle e equilíbrio” (Otimização)”, destaca Luis Nunes Vicente.

 A Matemática está presente em todo o espectro da sociedade e do mundo no qual vivemos. Nos negócios, nas distâncias, no tempo, na Educação, na Saúde, na construção de moradias, prédios, viadutos, estradas, nas viagens aéreas, terrestres e marítimas. Está presente em todo o nosso cotidiano e nos segue por toda parte. Na era tecnológica que vivemos, avança mais ainda e se faz onipresente por meio de um mundo integrado através da computação – smartphones, tabletes, computadores, jogos de videogame e informática em geral. Essa Matemática tão onipresente convoca permanentemente o leitor e o estudante a saber mais sobre ela.


Professores João Medeiros de Araújo, Luis Nunes Vicente e Liacir dos Santos Lucena (Foto: AnoteRN)
Black Friday impulsionou vendas no cartão de créditoOs dados estão no Boletim de Política Monetária e Operações de Crédito do Sistema Financeiro, divulgado nesta sexta (22)

A promoção do comércio varejista Black Friday ajudou a aumentar as compras à vista no cartão de crédito em novembro, de acordo com o Banco Central. No mês, foram concedidos R$ 70,698 bilhões em crédito, o que representou um aumento de 5,8% em relação a outubro. Os dados estão no Boletim de Política Monetária e Operações de Crédito do Sistema Financeiro, divulgado hoje (22) pela instituição.

A Black Friday esse ano ocorreu no dia 24 de novembro e, na análise do chefe do Departamento de Estatísticas do Banco Central, Fernando Rocha, é um dos efeitos que ajuda a explicar o crescimento em novembro. "O cartão de crédito à vista é instrumento bastante utilizado para compras", disse

No ano passado, a Black Friday, que foi no dia 25 de novembro, foram concedidos R$ 63,968 bilhões de crédito à vista. Em relação ao mesmo mês do ano passado, houve um aumento de 10,5%.

Apesar do aumento nas compras no crédito à vista, as vendas na Black Friday esse ano tiveram um crescimento menor que no ano passado. De acordo com dados da Serasa Experian, neste ano, no final de semana da Black Friday, de 24 a 26 de novembro, as vendas nos comércios de rua e shoppings centers cresceram 4,9% em todo o país. No ano passado, o crescimento foi de 11%, comparado com 2015.

Na análise da Serasa, a Black Friday vem se consolidando como mais uma data importante do varejo nacional e, apesar de ter crescido menos do que no ano passado, as vendas neste ano foram impulsionadas pela recuperação da renda real dos consumidores e pelas melhores condições de crédito.

Projeções

A perspectiva do Banco Central é de aumento dos saldos do crédito, no total, de 3%. Já em 2017, a perspetiva é que esse saldo feche no negativo, em menos 1%. "A perspectiva para o ano que vem, tanto no crédito quanto na atividade econômica é melhor. A projeção é recuperação gradual do mercado de crédito para o ano que vem, que passa para o positivo", avalia o Banco Central


A perspectiva do Banco Central é de aumento dos saldos do crédito, no total, de 3%. (Foto: InfoMoney)
Fecomércio entrega Mérito Jessé Freire a destaques do RNJair Queiroz, Diva Dutra e Luiz Lacerda recebem principal comenda empresarial do Estado

Em solenida realizada no Hotel Holiday Inn, em Natal, na noite da terça-feira (19), o Sistema Fecomércio RN entregou a maior comenda empresarial do Estado, o Mérito Jessé Freire, a personalidades que se destacaram no ano de 2017 em seus segmentos e na economia local. Foram homenageados os empresários Jair Queiroz, Diva Dutra e Luiz Antonio Lacerda.

Jair Queiroz, empresário do ramo de supermercados, se considera mossoroense "de coração". No recebimento da comenda, ele relembrou o início de sua carreira como comerciante em um peqiueno mercado de 150 m². Hoje, o grupo liderado por Jair Queiroz conta com 28 lojas, das quais 15 têm sua administração direta com mais de 2.500 colaboradores nos estados do Rio Grande do Norte, Ceará e Paraíba. “Fico muito feliz em receber o Mérito e agradeço a Fecomércio pela lembrança do nome. Esse momento não é só um reconhecimento pessoal, e sim de 2500 colaboradores que prestam um serviço de qualidade e eficiência aos consumidores do Rio Grande do Norte”, declarou o homenageado.

A segunda homenageada, Diva Dutra, é do ramo farmacêutico. Mesmo com a carreira de educadora consolidada, tem no sangue o empreendedorismo, no qual desde pequena ajudava o pai em sua farmácia. Com as reviravoltas da vida, retomou o comércio farmacêutico e engrenou no sindicalismo patronal, e é presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos do RN (Sincofarn). “Me sinto lisonjeada em receber o Mérito Jessé Freire e principalmente por ser mulher, em um mercado predominante masculino, é muito importante e gratificante. Agradeço minha família pelo incentivo em participar do mundo empresarial e me apoiar”, disse Diva.

O macaibense Luiz Lacerda, do setor de materiais de construção, foi agraciado com a comenda oferecida pelo Sistema Fecomércio. Há 27 anos, Luiz iniciou seu empreendimento comercial que tem crescido ao longo do tempo. Fundou e hoje preside a Redecon, uma rede de lojas de material de construção associadas, com 17 unidades e presente em diversos municípios do Rio Grande do Norte. “Esta comenda vem para dar mais energia para investir na empresa, dá coragem para ampliar os negócios, diante as dificuldades. Ser empreendedor é ser ousado, pensando em você, na empresa, colaboradores e clientes, que é o mais importante”, comentou Lacerda.

O presidente do Sistema Fecomércio RN, Marcelo Queiroz, afirmou que os três homenageados são figuras ímpares e que dão orgulho ao empresariado potiguar. O Mérito Jessé Freire foi criado em 2003 e tem como patrono uma das maiores lideranças empresarial do estado, sendo o único potiguar a comandar a Confederação Nacional do Comércio (CNC).

Números do Sistema Fecomércio

Durante a solenidade, Marcelo Queiroz também apresentou um rápido balanço das atividades do Sistema Fecomércio/SESC/Senac RN.  Os números de maior destaque foram os quase 45 mil alunos matriculados desde 2007 nas Escolas Sesc; 3 mil alunos beneficiados em cursos gratuitos preparatórios para o Enem; 4.300 crianças em situação de risco atendidas pelo Sesc Cidadão; mais de 90 mil atendimentos odontológicos realizados por ano; 33 mil mulheres beneficiadas pela Unidade Móvel Sesc Saúde Mulher; mais de 12 milhões de quilos de alimentos distribuídos por meio do Mesa Brasil; cerca de 4 mil pares de óculos doados com o projeto Ver para Aprender; mais de R$ 20 milhões investidos em projetos culturais e 220 mil matrículas realizadas pelo Senac.


Empresários recebem comenda Mérito Jessé Freire 2017 (Foto: Sistema Fecomércio RN)
Fecomércio debate regularização da rede Banco24 Horas162 caixas eletrônicos da rede Banco24Horas estão instalados em Natal

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do RN sediou na tarde desta sexta-feira, 15, a reunião da Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara Municipal do Natal, presidida pelo vereador Kléber Fernandes (PDT), na qual a entidade possui assento de representação. O objetivo do encontro foi debater a qualidade dos serviços prestados pela empresa TecBan, que administra a rede Banco24Horas.

“Nosso objetivo é saber o que está acontecendo e como podemos ajudar para que o serviço prestado ao consumidor seja melhorado, já que ultimamente temos percebido que muitos caixas eletrônicos da rede Banco24Horas estão quebrados ou desabastecidos. A população tem sido prejudicada e vem enfrentado muitos transtornos”, afirmou o vereador Kléber Fernandes, destacando ainda que a desativação dos caixas eletrônicos próprios dos bancos é um problema a mais.

O representante do Banco do Brasil, Luís Gustavo Monteiro, explicou que a falta de segurança e a inviabilidade econômica ocasionaram a diminuição do número de caixas eletrônicos. “Das 68 agências de rua do Banco do Brasil no estado, 27 foram explodidas. Por causa da segurança foi necessária a diminuição do horário de atendimento e também do número de terminais. Além disso, para que seja viável para o banco manter um terminal de autoatendimento funcionando, ele precisa ter um número de 7 mil transações por mês. Desativamos terminais que registravam apenas 500 transações. Então este é um processo que não tem volta”, concluiu.

O problema da segurança também foi a justificativa do representante da Caixa Econômica Federal, José Ricardo Gama. “Principalmente nas cidades do interior. Muitas agências foram explodidas”. O promotor de Defesa do Consumidor, Leonardo Cartaxo, alertou que “o serviço bancário é essencial, já que é por meio dele que a população tem acesso à moeda corrente. Estamos atentos, e se necessário iremos tomar as medidas cabíveis para que o serviço seja restabelecido”.

O gerente de negociação da TecBan, Carlos Vaini, disse que houve um problema entre a empresa e a parceira que era responsável pela guarda de valores, o que causou um desabastecimento em diversos caixas, mas explicou que as duas empresas já estão em negociação para regularização do contrato. “Este está sendo um problema transitório. Dos 162 caixas eletrônicos da rede Banco24Horas instalados em Natal, até ontem, tínhamos 123 funcionando, e os demais em processo de reabastecimento. Mas eu garanto que até a próxima segunda-feira todos os caixas vão estar abastecidos e funcionando”.


O problema da segurança também foi a justificativa do representante da Caixa Econômica Federal. (Foto: Reprodução/YouTube)
Motores do Desenvolvimento discute reforma trabalhistaO seminário acontece na segunda-feira (11) na sede da Fiern

A 33ª edição do Seminário Motores do Desenvolvimento do Rio Grande do Norte acontece nesta segunda (11) a partir das 8h30, no Auditório Albano Franco, na Casa da Indústria, e terá como tema “Reforma, Mercado e Novas Relações de Trabalho”.  

O evento contará com palestras do ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira; do empresário Flávio Rocha, presidente da Rede Riachuelo e um dos executivos do Grupo Guararapes; e de Sebastião Bomfim, proprietário e sócio do Grupo SBF, detentor da Centauro, rede de lojas de artigos esportivos. 

“O Seminário tentará apresentar teses, números, experiências que demonstrarão a irreversibilidade de alguns caminhos que já estão apontados, como, por exemplo, a necessidade da terceirização e de outras relações de trabalho que atendem a demandas da atualidade. Tudo, enfim, com razoabilidade, definindo metas e regras que equilibram as relações do trabalho e colaboram com o desenvolvimento do País”, afirma o presidente do Sistema FIERN, Amaro Sales de Araújo.

Desde 2008, quando teve sua primeira edição, o Seminário tem a finalidade colocar o setor público, a iniciativa privada e produtores de conhecimento do Estado na mesma mesa de debates. A ideia é que, juntos, eles discutam os desafios atuais, proponham soluções e tentem se antecipar a cenários futuros. A entrada é gratuita.

Com o intuito de impulsionar o progresso potiguar, o evento já trouxe para as discussões economistas, consultores, ministros, ex-ministros, jornalistas, autoridades de várias áreas do conhecimento, governantes, parlamentares, lideranças empresariais e empreendedores de sucesso o estado e de todo o Brasil.


O evento contará com palestras do ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira. (Foto: Divulgação)
Embaixador da Alemanha no Brasil faz visita à FecomércioNa oportunidade, o diretor Regional do Senac RN, Fernando Virgilio, apresentou o resumo das ações bilaterais

O presidente do Sistema Fecomércio RN, Marcelo Fernandes de Queiroz, recebeu na manhã desta segunda-feira, 4, na sede da entidade, em visita protocolar, o Embaixador da Alemanha no Brasil, Georg Witschel. Na oportunidade, o diretor Regional do Senac RN, Fernando Virgilio, apresentou o resumo das ações da parceria para troca de experiências e capacitação profissional, principalmente na área do Turismo, que desde 2009 envolvem o Sistema Fecomércio e a Alemanha, mais precisamente o estado da Renânia-Palatinado, e já promoveu várias missões entre os dois países.

Entre as ações, destaque para o Projeto Verena, que tem como objetivo qualificar profissionais do turismo no estado do Rio Grande do Norte, para promover o desenvolvimento contínuo do setor. Além disso, foram realizados cursos de Panificação Artesanal, de Sommelier, de Formação de Consultores Empresariais, entre outros.

“Estamos aqui para reafirmar todo o nosso sentimento de agradecimento e de entusiasmo com esta parceria cada vez mais abrangente e profícua. Precisamos reforçar ao governo alemão e aos parceiros da Renânia-Palatinado nossa alegria por tantas experiências que temos trocado e por tantas oportunidades que temos tido de plantar no nosso estado – e até no nosso país – sementes que certamente nos darão grandes frutos no futuro. Aliás, muitos já começam a florescer, conforme vimos na apresentação do nosso corpo técnico”, afirmou o presidente Marcelo Queiroz.

Queiroz lembrou ainda que o Rio Grande do Norte recebe, por ano, cerca de 2,5 milhões de turistas, que movimentam algo em torno de 550 milhões de dólares e possibilitam a geração de aproximadamente 100 mil empregos diretos. “Com o apoio dos amigos alemães, nosso trabalho e nosso esforço é para ampliar estes números. O Sistema Fecomércio RN, Sesc e Senac, que eu tenho a honra de presidir, vem sendo parceiro fundamental do segmento de turismo potiguar. Com o Senac, formamos, por ano, cerca de 3.500 pessoas em cursos de capacitação e qualificação em cerca de 100 cursos da área de Turismo. Além disso, somos referência nacional em cursos de idiomas. São mais de quatro mil alunos por semestre apenas nesta área, cuja importância para o segmento turístico é incontestável”, completou.

O Embaixador veio acompanhado da Cônsul-Geral da Alemanha para o Nordeste, Maria Könning; e do Cônsul Honorário da Alemanha no RN, Axel Geppert. “É muito encorajador ver todas as ações que compõem esta cooperação, e perceber a intensidade de laços e de investimentos por porte de ambos os lados, para qualificar empresários e sobretudo funcionários das empresas do setor de turismo, que é uma das mais importantes fontes de renda do Rio Grande do Norte”, destacou o Embaixador Georg Witschel.

Também participaram da visita o diretor-secretário da Fecomércio, Dijosete Veríssimo da Costa; o diretor Executivo da Fecomércio RN, Jaime Mariz; e o coordenador da Câmara Empresarial do Turismo da Fecomércio, George Gosson.


O Embaixador veio acompanhado da Cônsul-Geral da Alemanha para o Nordeste, Maria Könning. (Foto: Assessoria)
SESC RN reinaugura sua maior unidade física em MossoróA nova estrutura faz do SESC Mossoró uma das unidades mais completas do Nordeste

Com investimentos da ordem de R$ 30 milhões, o Sistema Fecomércio RN reinaugura nesta quinta-feira (30) o SESC Mossoró, a maior unidade física da instituição no Estado. Inaugurado  na década de 1970 graças ao empenho do então presidente da Confederação Nacional do Comércio (CNC), empresário potiguar Jessé Freire, o SESC Mossoró, após mais de dois anos de obras, é reentregue com sua área construída duplicada², passando de 5 mil m² para 10 mil m e sua capacidade de atendimento ampliada. A nova estrutura conta com a nova Escola SESC, Clínica Odontológica, Restaruante, Ginásio, Campo de Futebol e Parque Aquático. Durante as obras, que criaram 350 empregos diretos e indiretos, a unidade teve funcionamento normal.

O SESC Mossoró está localizado no bairro Nova Betânia, avenida Dr. João Marcelino, s/nº. A nova estrutura, que faz do SESC Mossoró uma das unidades mais completas do Nordeste, permite ações e atividades em todas as áreas desenvolvidas pelo SESC: Cultura, Lazer, Saúde, Educação e Assistência. “Mossoró terá uma unidade do Sesc elogiada em todo o país, com os espaços projetados para atender melhor o cidadão, climatizado, com equipamentos modernos. Foi um investimento viabilizado junto a CNC com bastante dificuldade, sobretudo em função dos momentos de dificuldade pelos quais passa a economia e o setor de Comércio e Serviços como um todo. Mas tenho certeza de que ele já está trazendo ótimos frutos e impactará muito positivamente no dia-dia dos mossoroenses”, afirma o presidente do Sistema Fecomércio/SESC/Senac-RN, Marcelo Queiroz.

O restaurante do SESC Mossoró foi ampliado e climatizado, passando da oferta de até 800 refeições por dia para 1.600 refeições/dia. Refeições que têm preços subsidiados. A unidade passa a ter também um estacionamento mais amplo e um bloco administrativo maior, e ganha uma Central de Relacionamento para atendimento ao público interessado nos serviços que o Sistema Fecomércio oferece. 

A nova unidade Sesc Mossoró também passa a contar com uma escola totalmente diferente, completa e climatizada. São 14 salas de aula, mini auditório, sala de arte e de multiuso, laboratório de informática e de ciências, biblioteca, lanchonete e refeitório, além das salas administrativas e a sala dos professores. Antes, a escola mantinha quatro turmas de Educação Infantil, 12 do Ensino Fundamental, atendendo mais de 400 alunos. Com a reforma e ampliação, serão 6 turmas de Educação Infantil, 22 de Ensino Fundamental, atendendo quase 600 alunos.

A Clínica Odontológica do Sesc passa a contar com mais um consultório para atender à população de Mossoró. São três salas individuais, onde os profissionais possuem os mais avançados equipamentos e produtos para atender os pacientes.

A construção da nova unidade Sesc Mossoró ganhou um sistema de reuso pluvial, pelo qual a água da chuva será utilizada para irrigação da área verde e do campo de futebol, por exemplo, energia solar para aquecimento de aguas, telhas termoacústicas e coleta seletiva de lixo.

A unidade agora possui duas piscinas, uma semiolímpica e uma infantil, campos de futebol society, quadra de vôlei de areia, salão de jogos de tabuleiro e outras modalidades. O espaço conta também com uma nova academia, com aparelhos modernos e espaços para a prática da atividade física, como dança, bike indoor, e outras modalidades, e uma brinquedoteca.

Foram construídos e reformados dois ginásios poliesportivos, que servirá de palco para apresentações artísticas nos diversos segmentos. A expectativa é que 1.500 pessoas utilizem os espaços esportivos do Sesc Mossoró.

O Sesc Mossoró irá agregar, ainda, o Sesc Cidadão Mossoró, projeto criado para proporcionar atividade como reforço escolar, práticas esportivas e recreativas, aulas de música e de capoeira, na zona periférica de Mossoró. A unidade também tem salas de cursos, que serão abertas para a realização dos mesmo durante todo o ano.

Programação domingo

Para marcar a reinauguração da unidade, o Sesc preparou uma programação diferente para o primeiro domingo do mês, dia 3 de dezembro. Haverá contação de histórias, pintura no rosto, show de mágica, além do espetáculo infantil “O Mundo dos Cubos e de sessões infantis no novo CineSesc.

O espaço esportivo e de lazer será destinado a torneios nos campos de futebol e no ginásio, recreação aquática. Tudo acontecerá das 9h às 15h, encerrando com o show musical.

Neste primeiro domingo, o acesso será gratuito para os interessados. Nos domingos seguinte, o associado Sesc tem acesso livre, com a apresentação da carteira Sesc, e os visitantes pagam uma taxa de R$ 10.


Instituição do Sistema Fecomércio RN duplica sua capacidade atendimento em Mossoró (Foto: SESC RN)
Auxílio à Previdência pública de pequenos municípios O software foi produzido com auxílio do Programa de Apoio à Extensão Universitária do Ministério da Educação.

Universidades federais desenvolvem ferramenta de auxílio aos profissionais que trabalham com planos previdenciários para servidores públicos dos pequenos municípios brasileiros. É um software de nome complicado, bem acadêmico, distante da realidade do cotidiano. O nome da ferramenta é Simulador Atuarial-demográfico de Regimes Próprios de Previdência Social, mas ele atende também pela sigla nada simples Sadeprev.O programa vem sendo desenvolvido desde 2016, a partir da parceria entre estudantes e professores de diferentes departamentos da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

O software foi produzido com auxílio do Programa de Apoio à Extensão Universitária do Ministério da Educação. O projeto possui coordenação da professora Cristiane Corrêa, do Departamento de Demografia e Ciências Atuariais (DDCA) da UFRN. 

O Sadeprev não é o primeiro programa de computador criado para fazer cálculos atuariais. Na verdade, cada atuário, profissional dedicado a desenvolver planos de seguros e de previdência, possui seu próprio método de análise, e alguns deles, inclusive, usam softwares particulares para desenvolverem esse trabalho. No entanto, não existem programas voltados para os gestores municipais de RPPS, que geralmente são pessoas com pouca ou nenhuma familiaridade com cálculos atuariais. O Sadeprev é uma alternativa que oferece, além de simplicidade no uso e facilidade de interpretação dos resultados, a possibilidade de que o gestor possa compreender a situação financeira e atuarial do seu RPPS no decorrer do tempo.


A ideia virou um projeto de extensão na UFRN. (Foto: Assessoria
Uma viagem de sonhos e de aprendizagem ao Brejo Paraibano Alunos da Escola Estadual Maria Arioene de Souza, de Campo Redondo, fazem viagem pedagógica ao histórico município de Areia

Os alunos das 1ªs. séries do Ensino Médio dos turnos matutino, vespertino e noturno da Escola Estadual Maria Arioene de Souza, localizada na cidade de Campo Redondo, Trairi do RN, participaram de uma viagem pedagógica ao histórico município de Areia, na Paraíba. Participaram cerca de 100 estudantes, a direção da Escola e os professores de Língua Portuguesa, Matemática, Física, Biologia, História, Língua Inglesa, Geografia. A viagem pedagógica no dia 1º deste mês contou com aulas de campo em visitas ao Engenho Triunfo, importante produtor de cachaça na região Nordeste; ao Museu do Brejo Paraibano dentro da Universidade Federal da Paraíba; a Trilha do Cumbe; a primeira Igreja Católica de Negros da Paraíba; ao primeiro teatro paraibano; e ao Museu do pintor Pedro Américo. Os alunos também passearam pelas ruas históricas da cidade de Areia, que é patrimônio histórico do estado da Paraíba.

A visita à cidade de Areia (PB), distante 173,6 km do município de Campo Redondo, no Rio Grande do Norte, com a realização de aulas de campo, teve planejamento dos professores da Escola Estadual Maria Arioene de Souza dentro do processo de Formação Continuada desenvolvido com recursos do Projeto de Inovação Pedagógica (PIP) do Governo do Estado, realizado por meio da Secretaria da Educação.

"Os alunos ficaram encantados com a viagem, com os lugares que tomaram conhecimento, com as informações novas recebidas, com as histórias que ouviram e com o próprio clima serrano do lugar. Fizemos trilhas às 11 horas da manhã sem calor nenhum", destacou a professora Francisca Marta de Araújo Silva Alves, diretora da Escola Maria Arioene de Souza. 

A Escola Estadual Maria Arioene de Souza, criada em 1982 e localizada no centro da cidade de Campo Redondo, funciona nos turnos matutino, vespertino e noturno, oferecendo o 9º ano do Ensino Fundamental e as três séries do Ensino Médio.

O município de Areia está localizado na microrregião do Brejo Paraibano com população estimada em 23.110 habitantes, segundo dados do ano de 2015 do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Areia tem uma área territorial de 266.659 km² e se situa em local elevado com relação ao nível do mar. Possui diversas fontes e balneários aquáticos e várias riquezas naturais.


Estudantes visitam locais históricos do Brejo Paraibano (Foto: Divulgação)
Baixa produtividade atrapalha empresas na exportação A quantidade de pequenos negócios nas exportações, inclusive, diminuiu, passando de 594 empresas em 2009 para 551 no ano passado.

O número de empresas envolvidas no comércio internacional no Brasil permanece praticamente inalterado na última década. Embora a taxa cambial tenha apresentado uma curva de ascendente desde 2015, a quantidade de empresas exportadoras tem permanecido estável. Quando se trata de pequenos negócios, o cenário é ainda mais acentuado. As pequenas empresa representam apenas 1% nas exportações brasileiras.

“As pequenas empresas têm uma participação muito pífia nas exportações do país. Mas é uma questão óbvia. Se elas têm pouca tecnologia e são pouco produtivas, a participação delas nas exportações vão ser, por consequência, baixa”, defende o diretor geral da Fundação Centro de Estudos do Comércio Exterior (Funcex), Ricardo Andres Markwald, que veio a Natal na última quarta participar do Decola Nordeste. Promovido pelo Sebrae no Rio Grande do Norte e Federação das Indústrias do Estado (Fiern), o fórum visa discutir sobre as ações de estímulo às exportações e captação de investimentos.

De acordo com Ricardo Andres, a baixa produtividade é um dos principais empecilhos para que as pequenas empresas brasileiras entrem no comércio internacional. “É diferente entre ser pequeno no Brasil e ser pequeno na Alemanha. Aqui, a diferença de produtividade entre a grande empresa e a pequena é bem maior. As empresas de baixo nível tecnológico são 20 vezes menores que as de alto nível. As MPEs têm um sério problema de produtividade e inovação em toda a América Latina”, assegura.

Ricardo Andres analisou a conjuntura das exportações no Nordeste. A quantidade de pequenos negócios nas exportações, inclusive, diminuiu, passando de 594 empresas em 2009 para 551 no ano passado. No Rio Grande do Norte, houve um aumento de 51 pequenas empresas para 61 no mesmo período. Juntos, os negócios de pequeno porte que enviam produtos ao mercado internacional atingiu um volume de US$ 76,6 milhões em 2016. No estado, esse volume foi de US$ 13,6 milhões. “É muito pouco empresa para muito esforço”, critica. Por outro lado, ele acredita também que não vale a pena incentivar empresas que não têm condições de entrar no comércio internacional. “Exportar é para poucos”.

Durante a palestra no Decola Nordeste, o diretor da Funcex, instituição que produz estudos e análises específicos sobre comércio exterior, criticou as políticasde estímulo à exportação no Brasil. “Se o número de empresas exportadoras não alterou desde 2009, isso demonstra que nossa política de promoção à exportação não está funcionando”.


As MPEs enfrentam problemas de produtividade e inovação em toda a América Latina. (Foto: Agora RN)
Geração eólica no RN deve fechar 2017 em altaEntre janeiro e agosto deste ano, a geração média de energia eólica no estado cresceu 26,5% comparado ao mesmo período de 2016.

O Rio Grande do Norte é o estado brasileiro que mais gera energia pela força dos ventos e dispõe da maior capacidade eólica instalada do país. Entre janeiro e agosto deste ano, a geração média de energia eólica no estado cresceu 26,5% comparado ao mesmo período de 2016. O percentual representa 1.316,7 megawatts médios (MW) a mais, entregues ao Sistema Interligado Nacional (SIN).

Os dados consolidados pelo Centro de Estratégias em Recursos Naturais e Energia (CERNE) confirmam a liderança do Rio Grande do Norte em capacidade instalada em operação, com 3,4 gigawatts (GW) gerados em 127 usinas eólicas instaladas no estado, a maior parte na região do Mato Grande, que concentra os municípios de João Câmara, Parazinho, São Miguel do Gostoso, Jandaíra, Pedra Grande e Rio do Fogo.

No ranking dos estados com maior capacidade eólica instalada do Brasil, a Bahia aparece como segunda colocada, com 1.9GW, seguida pelo Ceará com 1.7GW.

Esses números serão apresentados no V Fórum Estadual de Energia e Sustentabilidade do Rio Grande do Norte (FEERN 2017), no dia 13 de novembro, a partir das 08:30 horas, no auditório principal do IFRN – Campus Natal/Central.

Em sua quinta edição, o evento reúne autoridades, empresários e especialistas para debater junto ao público os desafios, investimentos e resultados obtidos nas áreas de energia eólica, solar, petróleo, gás e biocombustíveis no Rio Grande do Norte.

Este ano, o evento também contará com palestras envolvendo temas como parcerias socioambientais nos empreendimentos de energia, cidades inteligentes e humanas, oportunidades de capacitação na área de energia e tecnologias em inovação no setor energético.

O FEERN é uma realização do CERNE e conta com patrocínio da Chesf e Governo Federal, do Sindicato das Empresas do Setor Energético do Rio Grande do Norte (SEERN) e do Sindicato das Empresas do Setor de Petróleo do Rio Grande do Norte (Sipetro).


O FEERN é uma realização do CERNE e conta com patrocínio da Chesf e Governo Federal. (Foto; Divulgação)
Foco Nordeste promove seminário sobre Segurança Pública Evento acontece na terça-feira (07), às 19h, no auditório da Fiern, em Natal, com palestras do coronel José Ori Dolvin Dantas e do secretário da administração penitenciária do Maranhão, Murilo Andrade de Oliveira

Foco Nordeste promove seminário sobre segurança pública no momento em que o Brasil vive o maior nível de violência de sua história. Na terça-feira, 07 de novembro, especialistas da Segurança Pública e do Direito debatem em Natal os caminhos de enfrentamento do problema que liquida com milhares de vidas todos os anos e reduz significativamente a possibilidade de bem estar social.

O Seminário “A Segurança Pública e o emprego da Justiça Restaurativa” será realizado no auditório da Federação das Indústrias do RN (Fiern), em Lagoa Nova, Natal, com início às 19 horas. O evento terá duas palestras seguidas de debates. A primeira palestra será proferida pelo coronel da reserva do Exército Brasileiro, José Ori Dolvin Dantas, especialista em Segurança Pública. José Ori Dolvin falará sobre o tema “Os óbices da Segurança Pública”, e terá como mediadores Paoulla Benevides Maués de Castro, presidente da Adepol, e Sérgio Leocádio, consultor especializado em Segurança Pública.

A segunda palestra será proferida por Murilo Andrade de  Oliveira, secretário estadual de Administração Penitenciária do Maranhão, com o tema “A metodologia exitosa das Apacs”, tendo como mediadores Fábio Wellington Ataíde Alves, juiz de execuções penais, e Fábio Luiz Monte de Hollanda, advogado e ex-secretário estadual de Justiça e Cidadania do RN.

O evento é uma iniciativa do portal foconordeste.com e da Revista Foco Nordeste, em parceria com o Sescoop/OCB-RN, com o apoio do Tribunal de Justiça do RN, Fecomércio RN e Fiern.

A participação no Seminário não requer inscrição, nem o pagamento de qualquer taxa. É necessário apenas chegar antes do início do evento para garantir o acesso.

Guerra civil no Brasil. RN é o segundo estado mais violento do país

Segundo dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, divulgados nessa segunda-feira (30), o país registrou 61.619 mortes violentas no ano de 2016, representando o maior número de homicídios da história. Sete pessoas foram assassinadas por hora, 3,8% a mais do que no ano de 2015, e um percentual de 29,9 de homicídios para cada 100 mil habitantes. São dados absurdos de uma guerra civil mais letal do que a da Síria. Esse alarmante número de mortes por assassinato em plena “vida de paz” do Brasil equivale as mortes provocadas pela bomba que caiu em Nagasaki,  no Japão, durante a Segunda Guerra Mundial em 1945.

O Rio Grande do Norte, por sua vez, é o segundo estado com mais mortes violentas no Brasil. Para cada 100 mil habitantes, são assassinadas 56,9 por cento no  Rio Grande do Norte,  sendo superado apenas por Sergipe que tem 64 assassinatos para cada 100 mil habitantes, e ficando à frente do terceiro estado mais violento, Alagoas, que tem 55,9 homicídios para cada 100 mil habitantes.


Palestrantes debatem rumos de enfrentamento da grave crise da violência

Rede mossoroense abre grande atacado em São GonçaloGrupo Queiroz inaugura o atacado Stokfrios em São Gonçalo gerando 230 empregos diretos

A rede Supermercados Queiroz, maior do interior do Rio Grande do Norte e presente no Ceará e Paraíba, chega nesta quarta-feira (1º de novembro) a região da grande Natal com inauguração de sua loja de atacado, que leva a bandeira “Stokfrios”, na cidade de São Gonçalo do Amarante, na BR 406, nas proximidades da rotatória de Extremoz. 

A Stokfrios da grande Natal será a maior loja da Rede Queiroz, com 4.400 metros de área de vendas e estacionamento para 260 veículos. Está gerando 230 empregos diretos e cerca de 500 empregos indiretos.

Atualmente a rede Queiroz conta com 27 lojas entre atacado, hipermercados e supermercados espalhadas pelo Rio Grande do Norte, Ceará e Paraíba. É uma das maiores redes da região Nordeste.

O diretor do grupo Queiroz, Jair Queiroz, explica que a loja de São Gonçalo do Amarante será maior loja da rede e carro-chefe do grupo. “Nós estamos há quase 30 anos atuando no setor supermercadista, sobretudo na região Oeste e do Vale do Açu potiguar e em estados vizinhos. Temos conseguido crescer em um setor que é bastante competitivo. Este passo de lançar nossa bandeira na região metropolitana da capital ratifica nosso intento de seguir crescendo e ocupando espaços ”, diz ele.

Queiroz atribui o sucesso da sua rede à política arrojada de preços baixos: “Nosso sucesso tem como base uma política de preços baixos e eficiência nos serviços. Temos certeza que a população de São Gonçalo, Extremoz, Macaíba e a Zona Norte de Natal vai gostar bastante do que temos a oferecer”, concluiu Jair.

O presidente do Sistema Fecomércio RN, Marcelo Queiroz, destaca a iniciativa do grupo de raízes mossoroenses. “Partir para uma região onde a concorrência é ainda maior e mais acirrada é a confirmação da ousadia e da firmeza de propósitos que sempre foi demonstrada pelo grupo. Um empresário que, na atual conjuntura econômica, consolida um investimento milionário como este e gera centenas de empregos para os potiguares merece toda a nossa reverência e nosso aplauso”, diz Marcelo Queiroz (que não tem parentesco com o diretor do grupo supermercadista).


Jair Queiroz e o presidente da Fecomércio, Marcelo Queiroz (Foto: Fecomércio RN)
Feira de escola estadual apresenta projetos científicos130 projetos de iniciação científica desenvolvidos por alunos marcaram evento da Escola Peregrino Júnior

Evento de conclusão da 1ª Feira de Inovação Pedagógica do PIP da Escola Estadual Peregrino Júnior ocorreu nesta sexta-feira (20), nas dependências do próprio estabelecimento de ensino, localizado no Conjunto Santa Catarina, Potengi, Zona Norte de Natal. A 1ª Feira Pedagógica da Escola Estadual Peregrino Júnior: “Educar pela pesquisa – desenvolvendo e aperfeiçoando as competências de leitura, interpretação e escrita” foi aberta na manhã da quarta-feira (18) apresentando 130 de iniciação científica, envolvendo cerca de 350 estudantes. Desses trabalhos, 40 serão publicados em livro no próximo mês.

A vasta exposição de banners aborda temas relevantes como “a influência da alimentação no desenvolvimento humano”; “preconceito no ambiente escolar”; “turismo no RN”; “a internet na vida dos adolescentes”; “uso de drogas na adolescência”; “assédio sexual na escola”; “meio ambiente”; “como gerar energia natural em casa”; “como podemos melhorar a higiene da Praia da Redinha”; “como gerar energia elétrica a partir do sol”; “ocorrências de dengue e suas motivações em Jardim Progresso, Zona Norte de Natal”; “os patrimônios históricos da Zona Norte de Natal”; “a intolerância religiosa no Rio Grande do Norte”; “a violência contra a mulher: os 10 anos da lei Maria da Penha”; “a influência da cultura norte-americana nos jovens potiguares”.

O evento, que transcorre no horário de 8h às 17h, conta com a participação de professores e alunos em oficinas, palestras, exposição de trabalhos científicos, tecnológicos e culturais. A Feira tem a organização do professor de Biologia Nednaldo Dantas dos Santos, coordenador do PIP (Programa de Inovação Pedagógica) da Escola Estadual Peregrino Júnior; de  Maurício Lima de Alcântara; Lidemberg Rocha de Oliveira; Liédja Lira da Silva Cunha; e Ilkecia Kalini da Silva.

A Feira de Inovação Pedagógica conta com efetiva participação dos parceiros do PIP, UFRN (Pibid), IFRN – Zona Norte, Instituto Kennedy, SESC, Marinha do Brasil, Bombeiro Civil, Fanec, UERN, IES, Centro de Lançamento da Barreira do Inferno, IFRN, UnP, UNI-RN, SESC, Proerd, GACC.

A Escola Estadual Peregrino Júnior funciona nos três turnos oferecendo Ensino de Nível Médio e Ensino Fundamental. O PIP (Programa de Inovação Pedagógica), que está em sua terceira edição, é de responsabilidade do Governo do Rio Grande do Norte, realizado por meio do Programa Governo Cidadão, através da Secretaria da Educação e da Cultura, visando o desenvolvimento do ensino e da aprendizagem na rede pública estadual de escolas.  


A Escola Estadual Peregrino Júnior funciona nos três turnos. (Foto Cedida)
Macaíba sedia seminário sobre novas leis do trabalhoEvento promovido pelo Sistema Fecomércio RN terá presença de especialista em relações de trabalho da CNI

O Sistema Fecomércio do Rio Grande do Norte promove na cidade de Macaíba, nesta quinta-feira (19), às 19h, Seminário sobre as mudanças na legislação trabalhista, voltado para empreendedores, empresários, instituições classistas, gestores públicos e trabalhadores. O evento, que está ocorrendo em outras regiões do Estado, tem como tema "Modernização das Leis Trabalhistas: O que mudou? Porque mudou?", acontece na casa de eventos "Elion Recepções".

A realização da série de seminários é oportuna já que as novas regras que regem as relações de trabalho no país entram em vigo no dia 13 do próximo mês e muitas dúvidas ainda persistem. A principal palestrante do Seminário é a advogada especialista em Relações de Trabalho e em Direito Constitucional Trabalhista, gerente executiva da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Sylvia Lorena Teixeira de Souza. O evento também anuncia a presença do deputado Rogério Marinho (PSDB), relator do projeto de Lei na Câmara Federal da reforma trabalhista.

O Seminário do Sistema Fecomércio tem como parceiros a Fiern, Fetronor, Facern, Sebra, FCDL e CDL Natal. “Estamos dando continuidade ao trabalho de desmitificar as mudanças realizadas na reforma trabalhista. Os empresários e os trabalhadores precisam saber em detalhes o que será alterado e o impacto que isso terá nas rotinas de trabalho e, sobretudo, na relação entre as partes que, a meu ver, passara a ser muito mais transparente, justa e juridicamente segura, com ganhos para todos”, detacou o presidente da Fecomércio RN, Marcelo Queiroz.


Seminário da Fecomércio sobre novas leis trabalhistas realizado em Natal (Foto: Divulgação)
Jovem Senadora do RN discute intolerância no BrasilA estudante Maria Luisa Baracho de Souza, 15 anos, assume em novembro cadeira no Senado Jovem

A aluna da 1ª série do ensino médio da Escola Estadual Padre Sinval Laurentino de Medeiros, localizada em Tenente Laurentino Cruz, Maria Luisa Baracho de Souza, 15 anos, vai representar o Rio Grande do Norte no programa Jovem Senador. O resultado foi divulgado no último dia 4 e contou com a participação de 41 mil estudantes potiguares.

O programa é uma realização do Senado Federal, que seleciona anualmente a melhor redação, sobre o tema do ano, produzida por alunos do ensino médio de cada estado brasileiro. Na edição 2017, a 10ª do concurso, teve como tema “Brasil plural: para falar de intolerância”.

Maria Luisa escreveu a redação “Tolerância: um respeito à vida em sociedade”.  Para ela o tema é muito relevante dentro do país ondem existem muitas diferenças e lidar com opiniões, atitudes e crenças representam um desafio. “Achei um tema bom de argumentar pelo fato de o Brasil ter a intolerância bem presente apesar de ser um país miscigenado”, disse.

A estudante vai tomar posse como Jovem Senadora em novembro e durante uma semana visita a capital do país, vivenciando o dia a dia do Senado Federal e ao final vai elaborar um projeto lei. “Ainda não sei qual será a lei, mas com certeza será na área da educação”, destacou.

O segundo lugar no RN ficou com o estudante Natan da Silva Barbosa, da Escola Estadual Monsenhor Paiva, localizada em Vera Cruz e a aluna Thalyta Luana Barbosa Segundo alcançou o terceiro lugar, representando o Centro Estadual de Educação Profissional Professora Lurdinha Guerra, localizado em Parnamirim. 

Jornada parlamentar

Os jovens senadores estarão em Brasília de 27/11 a 02/12 e a cerimônia de posse ocorrerá no dia 28 de novembro no Plenário do Senado Federal. A legislatura tem início com a posse dos jovens senadores e a eleição da Mesa Jovem e se encerra com a aprovação dos projetos e a consequente publicação no Diário do Senado Federal.


A aluna Maria Luisa recebe medalha de reconhecimento do diretor Gilvan Lopes. (Foto: Divulgação)
Pequenos negócios são decisivos para economia potiguarOs pequenos negócios – aqueles cujo faturamento anual bruto não ultrapassa R$ 3,6 milhões – já somam mais de 156 mil empresas no RN.

O dia 5 de outubro é marcado pelas comemorações do Dia da Micro e Pequena Empresa, uma faixa empresarial que é determinante para o fortalecimento da economia do Rio Grande do Norte. Os pequenos negócios – aqueles cujo faturamento anual bruto não ultrapassa R$ 3,6 milhões – já somam mais de 156 mil empresas no estado. Juntas, essas organizações contribuíram, até julho, com R$ 113,8 milhões em impostos para os cofres públicos do estado e municípios potiguares.

Não apenas pela arrecadação direta de impostos, principalmente o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), que vai para o tesouro estadual, e o Imposto Sobre Serviços (ISS), repassado aos cofres dos municípios. Mas também pela capacidade de promover o desenvolvimento local sobretudo com a circulação de recursos localmente e pela geração de postos de trabalho.

De acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho e Emprego, as micro e pequenas empresas com até quatro funcionários foram responsáveis por um saldo de 7.493 postos de trabalho com carteira assinada no Rio Grande do Norte até agosto, como resultado de um número maior de contratações (24.253) frente as demissões (16.760).

Promover a competitividade e o desenvolvimento sustentável das empresas desse segmento e fomentar o empreendedorismo com o intuito de fortalecer a economia local está dentro da missão do Sebrae no Rio Grande do Norte. Até agora, a instituição atendeu a quase 25 mil empresas, que representa 83% da meta prevista para todo o ano. Do total, a maioria atendida foi Microempreendedores Individuais (MEI), que são aqueles negócios enquadrados nessa categoria jurídica com faturamento anual de até R$ 60 mil, tendo sido feitos mais de 17,1 mil atendimentos.

Até setembro, o Sebrae contemplou pouco mais de 3 mil pequenos negócios com soluções de inovação, que amplia a competitividade dessas empresas e aumenta as chances de permanência no mercado. As capacitações que têm sido a marca registrada da atuação do Sebrae também vem superando as expectativas e ajudando a empreendedores a estabelecer uma gestão profissional para os seus negócios. Foram 82.553 horas de consultorias e 60,4 mil orientações técnicas.

O Sebrae coloca à disposição dos empresários diversos programas e projetos setoriais que levam soluções de gestão, produto, processo e de mercado para pequenas empresas do setores da indústria, comércio, serviços e agronegócio. Durante todo o ano, também é oferecido uma extensa programação de cursos, palestras, oficinas, seminários e clínicas tecnológica, além das ações de acesso a mercados como rodadas de negócio e missões empresariais.

 


Empresas com até quatro funcionários geram mais de 7.400 postos de trabalho. (Foto: Tribuna do Norte)
Veleiro 'Cisne Branco' abre para visitação em NatalO navio segue aberto ao público até a terça-feira (3) das 14h ás 17h com entrada gratuita

Atracado em Natal após uma missão na Europa, o veleiro "Cisne Branco", da Marinha do Brasil, vai ficar aberto à visitação do público potiguar a partir deste sábado (30) até a terça-feira (3). As visitas têm entrada gratuita e acontecem das 14h às 17h.

A vinda do “Cisne Branco” acontece após uma viagem de representação denominada “Comissão Europa 2017”, que atendeu a diversos convites remetidos ao Brasil e à Marinha do Brasil. Na viagem de representação, o Navio Veleiro participou da "Tall Ships Races 2017", organizado pela "Sail Training International", sediada na Inglaterra.

O propósito do evento foi promover o treino de vela e a marinharia junto a jovens de diversos países. Para isso, foram reunidos os principais veleiros do mundo. De acordo com a Marinha, o evento trouxe para as forças armadas brasileiras, como a projeção de suas capacidades e o estreitamento dos laços com marinhas amigas.

Além de um evento esportivo, a regata se configura como evento social que resgata as tradições dos grandes veleiros e o interesse dos cidadãos para as coisas do mar. Em 2017, no mar Báltico, o “Cisne Branco” visitou os portos de Halmstad, na Suécia; Kotka e Turku, na Finlândia; Talin, na Estônia; Klaipêda, na Lituânia; e Estetino, na Polônia. Com informações do G1.


A vinda do “Cisne Branco” acontece após uma viagem de representação denominada “Comissão Europa 2017
UFRN abre vagas para pesquisa de alto nível no petróleo Projeto feito em parceria com a Shell oferece cinco vagas na área que trata de novos métodos na exploração do petróleo

Estão sendo oferecidas cinco vagas para pós-docs em projeto na área de Novos Métodos para Inversão Completa das Formas de Onda e aplicações na exploração de petróleo. O projeto é desenvolvido por parceria firmada entrea a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e a Shell.

A oferta á voltada para doutores nas áreas de Física, Geofísica, Matemática Aplicada, Computação de Alto Desempenho e áreas correlacionadas. Os candidatos selecionados irão receber uma bolsa no valor de R$ 6.819,00 por mês, com duração inicial de 2 anos (iniciando em Nov/2017) podendo ser renovada por mais 2 anos. O projeto será executado no Campus Central da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, em Natal (RN).

Os interessados podem se candidatar enviando o  Curriculum Vitae (CV) para o e-mail fwi_project@fisica.ufrn.br até o dia 20 de outubro de 2017.

A UFRN e a Shell buscam candidatos com conhecimentos avançados em pelo menos uma das seguintes áreas: Equações Diferenciais a Derivadas Parciais, Processos de Otimização, Métodos de Inversão, Otimização baseada em métodos livres de derivadas, Representações Esparsas, Transformada Wavelet, Física Estatística e Computacional, Sistemas Complexos, Inversão Sísmica, Métodos Numéricos, Otimização de Algoritmos e Códigos Computacionais, e Computação de Alto Desempenho.


UFRN oferece vagas para projeto científico de alto nível na exploração do petróleo (Foto: Divulgação)
Casacor Rio Grande do Norte abre para temporada 2017Os franqueados e profissionais atuaram no resgate das formas originais do prédio principal do Aeroclube que ocupa uma área de 2.200 m²

Na manhã da última quinta-feira (14), os franqueados da CASACOR Rio Grande do Norte, Cesar Revorêdo e Luciano Almeida receberam à imprensa do Estado para um brunch e visitação na Mostra que estará aberta ao público a partir desta sexta-feira (15), das 16h às 22h, no Aeroclube do Rio Grande do Norte e, segue até o dia 29 de outubro. A CASACOR é reconhecida e definida como a maior e mais completa mostra de arquitetura, design de interiores e paisagismo das Américas.

Durante o brunch, os convidados tiveram a oportunidade de conhecer, em primeira mão, e conversar com os profissionais de arquitetura, design e paisagismo que desenvolveram os 31 ambientes repletos de estilo, tendências, possibilidades, formas, cores, novidades, minimalismo, sustentabilidade e muito mais. Dentre os ambientes com operações comerciais, o visitante encontra a Cafeteria, Gelateria, Restaurante, Doceria, Adega e Loja SEBRAE/RN. Para a comodidade dos visitantes, a Mostra conta com um estacionamento privativo (pago).

Com um histórico de grandes revitalizações em prédios e casarão desde a sua estreia em 2012, este ano a CASACOR Rio Grande do Norte não fará diferente. Os franqueados e profissionais atuaram no resgate das formas originais do prédio principal do Aeroclube que ocupa uma área de 2.200 m², totalmente recuperada e que será deixada como legado ao RN.

Patrocinadores DECA (internacional) e Renault (nacional) se somam com empresas investidoras locais como o SEBRAE/RN, Café São Braz, Vitrus, Serhs Natal Grand Hotel, Olimpo Recepções e UNI-RN para garantir, desde já, o sucesso da edição 2017, fundamental para o Estado do Rio Grande do Norte. O espumante oficial da Mostra é o Gran Legado.

Sobre a CASACOR

Pertencente ao Grupo Abril, a CASACOR é reconhecida como a maior e melhor mostra de arquitetura, design de interiores e paisagismo das Américas. O evento reúne, anualmente, renomados arquitetos, decoradores e paisagistas e em 2017 chega à sua 31ª edição em São Paulo, com 20 praças nacionais (Alagoas, Bahia, Brasília, Ceará, Espírito Santo, Franca, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina), e mais seis internacionais (Miami, Bolívia, Chile, Equador, Paraguai e Peru).


A CASACOR é reconhecida e definida como a maior e mais completa mostra de arquitetura. (Foto: Assessoria)
Alteração na Lei das MPE deve priorizar acesso a crédito "O sistema bancário é grande demais para atender os pequenos”, argumentou o presidente do Sebrae

O presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos, defendeu nesta segunda-feira (11), durante debate em Florianópolis, a aprovação das Empresas Simples de Crédito (ESC) no Projeto de Lei Complementar 341, que altera a Lei Geral da Micro e Pequena Empresa, como forma de reduzir as taxas de juros de financiamentos para os pequenos negócios, além de ampliar a oferta de crédito no mercado.

Afif também destacou como positivo um dos pontos do projeto que prevê o reajuste anual pelo IPCA do teto do Simples, hoje pré-determinado, e o limite de 3,95% na substituição tributária para empresas optantes. A adoção das ESC chegou a ser aprovada pelo Congresso Nacional no projeto “Crescer Sem Medo”, em outubro de 2016, mas foi vetada posteriormente na sanção presidencial. A proposta será agora reapresentada neste novo projeto que altera a Lei Geral.

Segundo Afif, as ESC permitirão que pessoas físicas emprestem recursos próprios para pequenos negócios e será essencial para estimular o crédito para este segmento, que hoje não é atendido pelas grandes empresas do setor financeiro. “Pesquisas do Sebrae indicam que 84% das empresas não sabem o que é crédito.

O sistema bancário é grande demais para atender os pequenos”, argumentou o presidente do Sebrae, lembrando que, por conta das dificuldades em obter financiamentos, muitos empresários acabam recorrendo a medidas como o cheque especial ou cartão de crédito pessoa física. “Não estamos estimulando a agiotagem e sim combatendo. Agiotagem são os juros do crédito especial e do cartão de crédito”, argumentou o presidente do Sebrae. Para estimular o acesso a financiamentos, Afif defendeu ainda a expansão das fintechs – startups voltadas para o mercado financeiro. ”A tecnologia é uma forma de enfrentar a concentração bancária existente no Brasil”, disse ele, que também citou a importância das cooperativas de crédito.


Pesquisas do Sebrae indicam que 84% das empresas não sabem o que é crédito. (Foto: Divulgação)
Estudantes de escola estadual realizam peça em MossoróAlunos do Centro de Educação Eliseu Viana apresentam espetáculo no Teatro Dix-Huit Rosado, um dos maiores do RN. A trama é ambientada na Espanha do século 18

Incentivar as práticas educativas e culturais das escolas. Essa é uma das realidades que o Projeto de Inovação Pedagógica (PIP) vem proporcionando as instituições de Rede Estadual de Ensino desde 2015. Um bom exemplo disso vem do Centro de Educação Integrada Professor Eliseu Viana (CEIPEV). Localizada na cidade de Mossoró/RN, a escola foi uma das 400 contempladas com o PIP e, dentre as várias ações desenvolvidas, um grupo de teatro formado por estudantes realizou nesta terça-feira (5) a apresentação da peça “La Gitanilla”, às 15h30 no Teatro Dix-Huit Rosado, em Mossoró.

Os alunos, orientados pela professora de língua espanhola Alana Moura, formaram o grupo de teatro Hispanarte, que possibilitou trabalhar de forma interdisciplinar atividades que primem pelo desenvolvimento da dicção, desenvoltura, oratória entre outros aspectos das relações pessoais.

Sobre o espetáculo

O espetáculo “La Gatinilla” é baseado na obra clássica das novelas escritas pelo romancista espanhol Miguel de Cervantes, onde é retratado um amor possível entre uma cigana e um nobre, em uma época onde era forte a discriminação contra os ciganos. A trama amorosa conta com pitadas de suspense, controvérsias e intrigas, contando com uma ambientação inspirada na Espanha do século 18. “Durante a apresentação serão entrelaçadas três danças e duas músicas cantadas ao vivo pelos próprios alunos, tornando-a, assim, uma peça musical cheia de encantos”, descreveu a professora Alana Moura, coordenadora do grupo Hispanaete. Os ingressos para a peça podem ser adquiridos no CEIPEV.

Inovação Pedagógica

A Secretaria de Educação do RN, por meio do projeto Governo Cidadão, com os recursos do acordo de empréstimo do Governo do RN com o Banco Mundial, já está realizando a terceira edição do Projeto de Inovação Pedagógica (PIP). Desde 2015, quase 400 escolas já foram contempladas, por sorteio, com o financiamento de ações que prezem pelo desenvolvimento da aprendizagem. Até o final desta edição do PIP, o Governo do RN já terá investido mais de R$ 12 milhões nesses três anos de projeto, com recursos depositados direto nas contas das escolas.

“O grupo teatral é uma das onze ações que desenvolvemos na escola por meio do PIP, atividades que terão continuidade até o final deste ano. Entre essas atividades, temos a edição de um jornal escolar, a criação de um blog e a realização da nossa feria de ciências”, disse a diretora do CEIPEV, professora Evânia Gurgel de Lima.

O PIP fortalece os processos educacionais e de aprendizagem para os estudantes de 4º, 5º e 6º ano do Ensino Fundamental e 1ª série do Ensino Médio. As necessidades são identificadas pela própria escola e realiza intervenções com oficinas de produção de texto, de matemática, de informática, de música, de infraestrutura e de meio ambiente.


O espetáculo “La Gatinilla” é baseado na obra clássica das novelas escritas pelo romancista espanhol Miguel de Cervantes. (Foto: Divulgação)
Nota da JMT sobre o Samu NatalO texto fala sobre o Acórdão do Tribunal de Contas da União (TCU) em relação ao contrato firmado com a Secretária de Saúde de Natal e a SAMU Natal

A JMT Service, em respeito aos clientes e colaboradores, vem a público esclarecer a decisão do Acórdão do Tribunal de Contas da União (TCU) em relação ao contrato firmado com a Secretária de Saúde de Natal e a SAMU Natal.  É com muita surpresa que a JMT Service toma conhecimento da decisão pela mídia, pois a empresa ainda não recebeu nenhuma notificação. 

A denunciante TRD, empresa que passou dez anos na prestação de serviços da SAMU Natal, inconformada com o término do seu contrato com o município, utilizou as denúncias e ações judiciais no intuito de impedir nova contratação da JMT Service por parte do município. Foram alegadas e noticiadas informações levianas e mentirosas, com o intuito de perpetuar o contrato de prestação de serviços. 

Todas as ações que a TRD interpôs, tanto no âmbito da Justiça Estadual quanto no âmbito da Justiça Federal, foram julgadas improcedentes, ficando formalmente declarada pelo Poder Judiciário a absoluta regularidade do processo licitatório em questão. Portanto, as reclamações por parte da empresa denunciante não têm qualquer plausibilidade jurídica, demonstrando não haver direito legítimo para as insinuações processuais.

Quanto ao processo de autoria da JMT Service no âmbito da Justiça Federal (Seção Judiciária do Rio Grande do Norte (JF/RN), citado pela empresa denunciante, cumpre esclarecer que o seu objeto não guarda relação com o processo de coleta de preços sob enfoque, sendo o pleito da JMT totalmente diferente daquilo que afirma a empresa denunciante. A dita ação judicial tratava de uma questão tributária própria da empresa, cujo direito não só foi reconhecido em primeira instância, pela JF/RN, como também já fora confirmado em segunda instância pelo Tribunal Regional Federal da 5ª Região. Estas informações mostram que os argumentos suscitados pela denunciante foram utilizados de forma ardilosa, visando induzir ao erro o julgador do TCU.

A JMT Service se orgulha de ter contribuído para o desenvolvimento e qualidade dos serviços da SAMU Natal durante os 6 meses de contratação emergencial, quando apenas recebia pelos serviços efetivamente prestados. Diferente da antiga prestadora TRD, que recebia pelos serviços, independente da efetividade e quantidade destes serviços, gerando a oneração do contrato.

Por fim, a JMT Service informa que, assim que for notificada do Acórdão do TCU, providenciará a interposição do competente recurso em face da aludida decisão, a fim de demonstrar a leviandade dos argumentos da empresa denunciante, a improcedência do referido processo e a real verdade dos fatos.


A JMT Service se orgulha de ter contribuído para o desenvolvimento e qualidade dos serviços da SAMU Natal
A importância do Marco de Touros é tema de debateEm celebração ao aniversário do RN, o historiador Marcus César retorna a chegada dos portugueses em terras potiguares

Na noite desta terça-feira (22), a cidade de Touros, vivenciou uma noite de debate e regresso a um dos mais importantes acontecimentos da história do Rio Grande do Norte: a fixação do Marco Colonial que determinava Portugal descobridora e detentora das terras que mais tarde seria chamada de Brasil. O historiador Marcus César Cavalcanti conduziu esse debate com alunos e professores do município sobre a chegada dos portugueses ao RN, no dia 7 de agosto de 1501.

Dentro das atividades do Sarau Folclórico comemorativo aos 516 anos do RN, Marcos César narrou todos os fatos históricos que antecedem a chegada dos portugueses ao Brasil, destacando como alguns acontecimentos mudaram o curso da história. “Ao traçarem uma rota para a Índia, os navegantes viram, no horizonte, pássaros voando. Esse era um indício de que existia terra para além do mar, terra está o Brasil”, disse o historiador.

IMG_3212

Com a chegada dos portugueses ao Brasil missões de reconhecimento foram montadas para que os descobridores tivessem noção da extensão da costa brasileira. Em 7 de agosto de 1501, os portugueses desembarcaram em uma praia, hoje situada no município de Touros, e fixaram o Marco Colonial, hoje conhecido como Marco de Touros. “Essa expedição durou mais de um ano, realizando um estudo cartográfico sobre o nosso território”, lembrou Marcos César. 

O Marco de Touros resistiu ao tempo mesmo passando quase 380 anos sem a devida atenção pelo desconhecimento de sua origem e importância por parte dos moradores e poder público da época. “Somente em 1879, em uma pesquisa das cartas de navegação, foi encontrado registros do ponto cartográfico onde estaria o Marco de Touros”, explicou.

Antes de ser compreendido como uma das peças coloniais mais antigas do Brasil, o monumento teve sua estrutura danificada pelos moradores, pois muitos acreditavam que suas raspas poderiam ser medicinais e milagrosas. 

“O reconhecimento do nascimento do Brasil diante aos demais países do mundo não foi no descobrimento das terras. O que oficializa isso é a posse das terras e o que legitima isso é o Marco de Touros. Então temos em nosso Estado o documento de registro de nascimento do Brasil”, encerrou Marcos César.

Homenagens e aniversário do RN

IMG_3245

Logo em seguida a palestra, o historiador Marcos César recebeu das mãos da professora e radialista Dione Nascimento um certificado de reconhecimento pela defesa da história do Marco de Touros, emitido e assinado pelo atual prefeito municipal, Francisco de Assis Pinheiro de Andrade. “Por meio de seus trabalhos, temos a certeza de que nossa história encontra um defensor e guardião”, disse a professora Dione ao entregar o certificado. 

Nesta sexta-feira (5), a Revista e o Portal Foco Nordeste realizam solenidade comemorativa ao aniversário do Rio Grande do Norte e a entrega do troféu “7 de agosto”, alusivo a data as pessoas e instituições que trabalham em favor ao RN.

A data de 07 de agosto é instituída como o aniversário do Rio Grande do Norte, em termos legais, a partir de estudos desenvolvidos pelo historiador Marcus César Cavalcanti, com a participação do então presidente do Instituto Histórico e Geográfico do RN, Enélio Lima Petrovich. Esses estudos embasaram o projeto de lei de autoria do então deputado estadual Valério Mesquita. O projeto de lei, aprovado pela Assembleia Legislativa, foi sancionado pelo então governador Garibaldi Alves Filho, se tornando a Lei nº 7.831 de 30 de maio de 2000.


A palestra foi prestigiada por expressiva participação de estudantes do município de Touros. (Foto: Danilo Bezerra)

Touros celebra aniversário do RN com Sarau e PalestraA palestra sobre o Aniversário do Rio Grande do Norte será proferida pelo historiador e escritor Marcus César Cavalcanti de Morais

O município de Touros realiza na terça-feira (22), às 19h, um Sarau Folclórico e Palestra alusiva ao Aniversário de 516 anos do Rio Grande do Norte. Os eventos comemorativo, que contarão com a comunidade do município, acontecem no largo em frente à Escola Junqueira Aires.

O palestrante da noite que falará sobre a data história de 7 de agosto de 1501, a do Aniversário do Rio Grande do Norte, é o escritor e historiador membro do Instituto Histórico e Geográfico do RN e diretor da  Revista Foco Nordeste, Marcus César Cavalacanti de Morais. Marcus César Cavalcantdi é o autor dos estudos e pesquisas que embasaram o projeto de lei de autoria do então deputado estadual Valério Mesquita insrtituindo o dia 7 de agosto como a data de aniversário do Rio Grande do Norte.

Após a  palestra de Marcus César Cavalcanti acontecerão apresentações musicais, poéticas e danças.

O evento comemorativo é promoção da Prefeitura de Touros, municpipio que faz parte decisiva do início da história do Rio Grande do Norte.


Marcus César Cavalcanti faz palestra sobre aniversário do RN
A indisciplina no âmbito escolar (uma Reflexão)As normas disciplinares devem estar imbuídas de responsabilidade e serem coerentes com o processo educativo

A indisciplina é toda ação que vai além do limite do respeito à liberdade do outro. Atos de indisciplina são aqueles que interferem nos trabalhos e no convívio no âmbito escolar, causando prejuízo aos objetivos educativos a serem atingidos. As normas disciplinares, a serem aplicadas aos discentes, docentes e demais profissionais pertencentes à escola, não devem ser caracterizadas nem como permissivas, nem como repressoras, mas orientadas demaneira a solucionar situações que venham ocorrer em desacordo com as normas pré-estabelecidas.

Tais normas devem estar imbuídas de responsabilidade, respeitando os princípios legais, contribuindo para um repensar dos atos e atitudes em prol do crescimento e do respeito mútuo. Estas devem ser coerentes com o processo educativo; formuladas e justificadas com bom senso e transparência. Por isso, as normas disciplinares devem contemplar sanções pedagogicamente corretas, que jamais importem o aluno do Sistema Educacional ou em consequências destituídas de caráter educativo; devendo estar em consonância com a Constituição Federal, Estatuto da Criança e do Adolescente, Lei de Diretrizes e Bases da Educação.

“Formar o cidadão não é uma tarefa para um dia e, para contar com eles quando homens é preciso instruí-los ainda crianças” - (Rousseau).

Cabe salientar que, as sanções disciplinares previstas no Regimento Escolar não podem afrontar o princípio fundamental e constitucional, que assegura a todo cidadão, em especial crianças e adolescentes, o direito de “acesso, permanência e sucesso na escola”, o que implica, além de aprender os conteúdos, adquirir sociabilidade e exercitar a real cidadania, conforme previsão expressa no art.53, inciso I da Lei nº 8.069/90, art.3º, inciso I, da Lei nº 9.394/96 e nos arts.205 e 206, inciso I, da Constituição Federal.

Por respeito a princípios constitucionais afetos a todo cidadão sujeito a uma sanção de qualquer natureza, a aplicação da sanção disciplinar ao aluno acusado da prática de ato de indisciplina não poderá ocorrer de forma sumária, sob pena de violação do contido no art.5º, incisos LIV e LV, da Constituição Federal6, que garante a todos o direito ao devido processo legal, ao contraditório e à ampla defesa, através de procedimento formal.

É importante que qualquer aluno acusado da prática de ato de indisciplina, seja qual for sua idade, não apenas tenha o direito de tomar ciência formalmente (por escrito) da sua conduta, mas que em seguida lhe seja oportunizado o exercício ao contraditório e à ampla defesa, sendo a escola obrigada a solicitar o comparecimento dos pais ou responsáveis, no caso de criança ou adolescente, com a finalidade de assisti-lo e representá-lo.

Os casos de indisciplina praticados no âmbito escolar devem ser apreciados na esfera administrativa da escola, através do Conselho Escolar, órgão deliberativo, aplicando as sanções previstas no regimento escolar.

A suspensão das atividades na escola é flagrantemente ilegas/ inconstitucional, pois afronta o direito fundamental de acesso/ permanência/ sucesso na escola.

Ademais, é também flagrantemente antipedagógica, pois além de prejudicar o desempenho escolar do aluno suspenso (contribuindo assim para "retroalimentar" uma das principais causas da indisciplina na escola), em muitos casos acaba sendo vista como um "prêmio" para o aluno indisciplinado, especialmente quando este já está mesmo desinteressado pelos estudos.

Se isto não bastasse, a "suspensão" é totalmente ineficaz, pois não combate justamente as causas determinantes da conduta do aluno, isto quando não as "potencializa" e/ou cria em torno do aluno suspenso uma "aura" (para não dizer um "rótulo") de "aluno rebelde" que pode servir de "inspiração" ou "liderança negativa" para os demais.

Isto não quer dizer, logicamente, que os alunos indisciplinados devam ser responsabilizados por seus atos. A "responsabilização" pela prática de atos de indisciplina (e também atos infracionais) é um direito do aluno, mas deve ocorrer de forma adequada - e logicamente, pedagógica, devendo partir de uma avaliação/"diagnóstico" das referidas causas determinantes da conduta (que tanto podem estar relacionadas à própria escola - ainda que restritas à metodologia de ensino e/ou conduta de um determinado professor, quanto ser "externas" (inclusive no âmbito de suas próprias famílias).

Descobrir as origens do problema é o primeiro passo para sua efetiva solução

Espero ter podido ajudar no debate.

 

Por Domingos Sávio de Oliveira

Professor, sociólogo e atual secretário de Educação do Município de Macaíba (RN)


A importância da educação para a formação do cidadão (Foto: Olá Serra Gaúcha)
Mossoró: A majestade da cultura13 anos de Teatro Dix-Huit Rosado

O majestoso Teatro Dix-Huit Rosado, sonho dos mossoroenses que se tornou realidade, tem comemoração de seus 13 anos de existência na quinta-feira (10) com programação reunindo espetáculos e homenagens. Localizado no Corredor Cultura da cidade, o teatro é um verdadeiro marco de orgulho para os mossoroenses.

Logo pela manhã, alunos da rede municipal estiveram no teatro para ver a  exposição fotográfica sobre a sua história. Na sequência, ao meio dia, Osman e Gustavo Pinto cantaram e recitaram poemas.  Às 18h ocorreu a apresentação da Ave Maria Sertaneja feita por Tony Silva e o Grupo Arte e Violão, na Praça Cícero Dias. Às 18h30, a Companhia Artes sem Limites encenou o espetáculo ‘Viver e Não ter a Vergonha de ser Feliz’, no átrio do Teatro.

Mais tarde, às 20h, começou a apresentação do espetáculo A Fábrica de Arte, com direção de Plínio Sá, seguida de várias apresentações de caráter cultural e informativo com destaque para o número da Bela Trupe e para o show "Desarrumando o Arrumado". 

Entre os homenageados nas comemorações está Gonzaga Chimbinho, importante nome da cultura e da vida mossoroense. “Toda cidade de Mossoró ganha com o Teatro. São 13 anos de  alegria, ensinamentos e mais cultura. Não podemos esquecer de Gonzaga Chimbinho e dos demais artistas que já se foram. Isso faz com que todos nós entendamos que o teatro é a alma do nosso povo”, ressaltou a prefeita Rosalba Ciarlini.


A cultura em seu esplendor em terras mossoroenses (Foto: Divulgação)
A tecnologia como acesso à naturezaEstudantes têm contato virtual com a fauna e a flora

750 estudantes do ensino fundamental da rede pública estadual participam durante toda a semana, de 24 a 28, da exposição “Conexão Estação Natureza” promovida pelo grupo Boticário que acontece na praça de eventos do Partage Shopping, na Zona Norte, em Natal.

 A exposição proporciona aos visitantes o contato com a fauna e a flora por meio de um ambiente tecnológico de interação e recursos sensoriais. Um dos locais da visitação é o cinema sensorial com 360º de projeção, que leva os visitantes a sentirem as sensações de frio, calor e o aroma da mata. Os visitantes mantém contato com bicicletas ecológicas que, além de transportar, servem também de carregador de celular usando energia limpa. A exposição também oferece a oportunidade de se conhecer os 7 biomas brasileiros, e jogos interativos que são aproveitados em dupla.    

Para a professora Maria das Graças, da Escola Estadual Eurípedes Barsanulfo, a visita sensibiliza os estudantes que participam porque a partir da visualização e interação com o ambiente, promovida pelos recursos tecnológicos, eles aprendem não só o conteúdo observado em sala de aula, mas também descobre  outras possibilidades de atuação.

“Achei muito legal na hora que choveu dentro do cinema. Preservar a natureza é muito importante”, disse a estudante Liandra da Silva (11), da Escola Eurípedes Barsanulfo.

O projeto Conexão Estação Natureza permanece no Partage Norte Shopping até o dia 06 de agosto, no horário de 10h às 22h, com entrada gratuita. A exposição é destinada a todos os públicos.

A instituição

A Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza é uma organização sem fins lucrativos criada em 1990, com o objetivo de promover ações de conservação da natureza. Com atuação nacional, a instituição já apoiou cerca de 1.400 iniciativas em prol da conservação da natureza em todo o Brasil. A Fundação também mantém duas reservas naturais, na Mata Atlântica e no Cerrado, os dois biomas mais ameaçados do Brasil, protegendo mais de 11 mil hectares de áreas nativas.


Projeto da Fundação Boticário coloca o estudante frente à frente com a fauna e a flora por meio da tecnologia
Escritos da vida Comendo a vida com os olhos e amando cada vez mais

Quando estamos em nossa cidade temos uma maneira de viver e de se locomover.  Quando viajamos, alguns mantêm o mesmo modus vivendi. Eu gosto de mudar.

Aqui tenho carro e o utilizo bastante. Atualmente disponibilizei para um filho social fazer Uber e tenho andado também de ônibus e de carona, mas independente disso, quando dirigindo tenho uma direção contemplativa. Internalizei amor pela vida e busco em cada olhar, em cada andar e em cada deslocar a extração do cotidiano, a visão dos movimentos diversos e a própria essência de nossa existência material.

Explico melhor, a distração, a abstração ou alheiamento do que acontece a nosso redor, joga no lixo, desperdiça um universo de cenas, visuais e eventos interessantes que acontecem a todo o momento e em todo canto.

Perceba andando ou parado em sinais e engarrafamentos, que animais estão por perto, comendo, subindo árvores, acompanhando companheiros, seres humanos ofertam serviços e muitos são engraçados, agradecem rezando, outros são rudes, uns alegres, têm os divertidos, cheios de manias, além da própria natureza com céu azul, chuva, ventos, temperaturas etc.

A vida na verdade é uma produção cinematográfica viva e em constante dinâmica, passe a observar tudo a seu redor como um filme, como gravações e viaje em cada detalhe, em cada acontecimento, em casa movimento.

Quando viajo, então, voltando ao “x” da questão, prefiro o ônibus, primeiro pela altura, nos possibilitando um olhar sobre a cidade e seus habitantes de cima, segundo ele vai parando o que nos dá uma oportunidade sem paralelo de observação da polis de camarote. Tem ainda a possibilidade de ver as pessoas comuns, aquelas que muitas vezes não nos relacionamos.

Nos ônibus surgem do nada religiosos, vendedores, ladrões, dondocas, prisiacas, estudantes, bem vestidos, maracatus, figuras bem interessantes e diferentes, oportunizando a um olhar mais atento, uma gama enorme de tipos muito apreciados sob o prisma da curtição sem preconceito, e sem julgamento negativo.

Cada vez mais amo viver, circular, observar, em todo canto e em todo lugar existe algo para se ver, para se deleitar, claro que as negatividades estão à espreita e não é nada bom experienciar situações assim, mas mesmo assim, elas existem e segundo os espíritas, acontecem conosco e no entorno como consequência de alguma lição que devemos passar ou karma que temos que quitar.

Viver, olhar, circular, estar neste planeta, seja de qual categoria ele for, estar tendo esta maravilhosa oportunidade de estar vivo na matéria, depois livre da carne mais fluído para voar, volitar, transitar por dimensões e mundos outros, já percebeu o quanto devemos ser gratos por termos nos tornado um atma, uma alma, um espírito, uma unidade cósmica, um cidadão planetário?

Exerçamos nossa cidadania cósmica com muita boa energia e na absorção necessária e positiva do amor, busquemos encher o nosso tanque com esse combustível para poder com ou sem asas distribuir amor por onde possamos estar.

Luzzzzzzzzzzzzzzz.

 

Por Flávio Rezende

Jornalista, aos vinte e sete dias, mês sete, ano dois mil e dezessete. 10h35. Natal/RN, Brasil, Planeta Terra, Universo.


Foto: ivie.com.b
Renovação e investimento constroem a liderançaA loja de material de construção mais presente

A loja de material de construção que se renova permanentemente e que acredita e investe na capacidade de crescimento de Natal e do Rio Grande do Norte é também a líder de preferencia e a marca mais lembrada pelo consumidor. O Armazém Pará tem a liderança junto ao consumidor natalense atestada pela ampla pesquisa de opinião pública Top of Mind 2017 da  Revista Foco Nordeste no segmento de lojas de material de construção.

Com três lojas estrategicamente localizadas em importantes regiões de Natal, nas avenidas Antônio Basílio, João Medeiros Filho e Engenheiro Roberto Freire, e um marketing inteligente que transmite a realidade que o cliente vai ver e sentir nas unidades físicas da empresa, o Armazém Pará se situa como a principal opção na hora de comprar material de construção. As grandes lojas do Armazém Pará são ambientes amplos e agradáveis de compras que oferecem atendimento personalizado,  produtos que contemplam as mais diferentes necessidades para a  construção, manutenção e decoração  de imóveis, serviço de informações sobre o uso de  materiais, e o preço sempre justo e acessível ao bolso  do consumidor.

“Procuramos transmitir no nosso atendimento, quando necessário, conhecimentos técnicos oferecendo ao cliente uma solução mais adequada”, destaca o empresário Marcantoni Gardelha, diretor comercial do Armazém Pará.

Atuando sempre com planejamento e sintonizada com o que há de mais moderno em termos de material de construção, o Armazém Pará consegue se antecipar em um mercado cada vez mais competitivo e oferecer ao seu cliente os melhores e mais novos produtos atendendo a todas as necessidades e detalhes que completam uma obra de construção ou manutenção de imóvel.

“Vamos continuar trabalhando para manter a preferência que temos hoje. Estar no topo em um segmento pulverizado e de grande competitividade como o nosso requer uma orientação específica, na qual o cuidado e o zelo com o cliente são prioridades absolutas. Vamos manter sempre com ele o que tem sido  uma marca registrada na história do Armazém Pará, uma relação de honestidade e clareza”, afirma o diretor Marcantoni Gadelha.


Marcantoni Gadelha recebe prêmio Top of Mind 2017
A Lamparina à queroseneFerramenta que iluminou por séculos os estudos dos gênios

Se recordar é viver novamente, então devo ter o dobro da minha idade, pois vivo recordando! As recordações alimentam minha alma com coisas simples vividas em tempos idos.

Dias atrás, conversando com um amigo, ouvi:

- Não sei como conseguíamos viver sem celular, internet, ar condicionado, carros, aviões, trens velozes, etc.

Nossa conversa foi tomando outro rumo e começamos a falar sobre as coisas que fizeram parte de nossas vidas por muitas décadas, assim como as lamparinas. E assim fomos esticando a conversa para dar tempo de tomar mais uma taça de vinho. Então, eu lhe respondi:

- Só vivíamos sem estas coisas modernas porque não tínhamos referências. Se nos privarem de tudo isso, o mundo entrará em colapso, porque agora conhecemos o valor dessas coisas e o quanto elas facilitam nossas vidas.

No sítio Jardim do meu avô Celso e de minha avó Sophia, apesar de já termos luz elétrica em Natal, em Monte Alegre até a metade dos anos 70 não existia. O sítio era muito frequentado nas férias por mim e quase todos os primos. Lembro que lá tinha várias lamparinas que ficavam guardadas numa prateleira em nossa despensa – local destinado a guardar mantimentos.

Ao lado delas meu pai sempre deixava uma caixa de fósforos para acendê-las. Após o jantar sempre tinha o bate-papo e o jogo de dominó entre meus tios. Eu era um dos que preferia ficar ouvindo as histórias do avô. Nas noites de chuva, depois de fortes trovões, relâmpagos e até raios nas proximidades do sítio, sentíamos um medo aterrorizante, e o “paieeê tô com meeeedo” vinha de todos os cantos da casa. Tanto eu, como meus primos, tínhamos pavor do escuro e de chuvas fortes acompanhadas de trovões. Diante da escuridão, a santa lamparina nos acudia e iluminava a casa, nos passando confiança, principalmente depois de nos aninharmos entre nossos pais em um macio e barulhento colchão de palha. Aí, até os salpicos da chuva fria caindo do telhado se tornavam agradáveis, pois nossa casa não era forrada e havia apenas paredes dividindo os cômodos.

Alguns de meus tios nasceram pelas mãos de uma parteira e sob a luz de uma lamparina. Depois de nosso rádio Semp de oito faixas, do fogão de lenha de minha avó, era a lamparina o utensílio mais útil de nosso pequeno, mas aconchegante sítio.

Apeguei-me tanto a elas que aprendi a gostar do cheiro de querosene queimado e da fuligem que formava em nossas paredes brancas cobertas com apenas uma mão de cal. Lamparina a querosene que iluminou silenciosamente por muitos séculos as lições das cartilhas escolares de gênios, intelectuais, pobres e ricos de todo mundo. Lamparina, você que iluminou angústias, alegrias e tristezas de várias gerações. Lamparina que iluminou nascimentos e mortes, receba minha homenagem, porque além de ter sido minha companheira nas infindáveis noites no sítio jardim ao longo de muitas férias nos anos 70. Que sua chama abençoada não se apague nunca!

Por Domingos Sávio de Oliveira

Professor e sociólogo


A lamparina que iluminou e fez parte do cotidiano das pessoas (Foto: Jornal ZO)
Inflação negativa e desempregoDesemprego que está em 14,2 milhões afeta psicológico das pessoas

Não há absolutamente nada no universo econômico que afete mais o psicológico e o emocional das pessoas do que o desemprego, fenômeno que no Brasil já atinge 14,2 milhões de trabalhadores, um número assustador, haja vista que a grande maioria advém da mão de obra não qualificada, gerando apreensão e violência.

No Brasil, a absorção da mão de obra em larga escala vem de diversos setores, entre eles o da construção civil, ramo de atividade cuja queda foi acentuada. É preciso lembrar que a deflação, ou inflação negativa, é fruto da safra recorde ou da redução das contas de energia elétrica, com o anúncio da bandeira tarifária verde para o mês de junho, o que barateou a energia e contribuiu para a queda dos indicadores inflacionários.

Com efeito, o mérito da política econômica pouco tem a ver com o declínio da inflação, mas resulta do legado de instabilidade política, falta de investimentos, corrupção e, principalmente, da própria lógica do desemprego em massa. Se por um lado a política econômica entende que um corte maior de juros seria aceitável, promovendo aumento de consumo, na outra ponta o gasto público e a dificuldade de ajuste nas contas por parte do Congresso asfixiam a confiabilidade, neutralizando a possibilidade de juros menores, cenário em que consumidores e empresas poderiam obter mais crédito, ou seja, a relação mais crédito-mais investimento poderia dar certo. Contudo, o “mais investimento” sempre esbarra no fator instabilidade política e econômica do país.

Quando me refiro ao legado, temos que levar em conta que a economia do país encolheu 7,2% nos últimos dois anos, portanto, estamos diante de uma brutal recessão. E o que mais me causa estranheza é ouvir o governo Temer afirmar na reunião do G20 que não temos crise, e que há, sim, uma recuperação. Ora, mais uma vez nos deparamos com um cenário de corrupção “ideológico-econômica”, que visa tão somente camuflar os detritos políticos e inflar uma popularidade para “inglês ver”. Pena que os “ingleses”, assim como os grandes investidores, não mais acreditam no pobre Brasil da velha malandragem, que ainda tenta impressionar os incautos.

 

Por Fernando Rizzolo

Advogado, jornalista, mestre em Direitos Fundamentais e professor de Direito


Foto: Blog Magnetis
Dom Jaime: o real sentido do NatalO Natal verdadeiro em um mundo dominado pelo consumo

A realidade de uma festa natalina que se distancia da preconizada pelos fundamentos do cristianismo e se entrega em termos mais gerais a dinâmica consumista dominante no mundo. A festa que celebra o nascimento na figura máxima do cristianismo, Jesus Cristo, e toda sua significação, enquanto ensinamento, orientação e congraçamento, perdendo relevância, no que lhe toca de mais próprio, para o esforço massificador do consumo, do marketing comercial.

Festa natalina que ganha em brilho, em luzes coloridas, em alegorias tecnológicas, e perde no vigor da afeição humana, da fraternidade que não busca holofotes nem reconhecimentos. Ganha no que pode tocar de mais avançado de momento no campo tecnológico virtual, mas se empobrece no contato direto entre as pessoas, na realidade do abraço de verdade, no carinho que emana do congraçamento.

É neste contexto que se configura já há algum tempo, com o esforço consumista para a inibição do real sentido cristão do Natal em nome da necessidade de aumento das vendas no comércio e no faturamento das empresas, que o arcebispo de Natal, Dom Jaime Vieira Costa, aborda vários aspectos da realidade vivida no mundo que se apresenta como moderno.

Como o senhor vê o avanço do mercantilismo em uma data como o Natal, tão significativa para o cristianismo?

O Natal continua tendo um peso grande como referência cristã. A vinda do Salvador, o Natal de Jesus, os seus símbolos já tão consagrados permanecem merecendo a atenção. O que se constata é diversos aspectos novos e modernos na própria vida da sociedade, sobretudo a questão do mercado de consumo, no qual entra o marketing e os mecanismos de atração. Vemos agora uma festa mais colorida, mais brilhante, por causa dos recursos técnicos.

No ponto de vista de símbolos, de atração e de envolvimento da sociedade, é uma festa marcante, porém sempre se faz a ressalva de que o verdadeiro sentido do Natal, que deve ser o religioso, transcendental, que transmita mensagens profundas de ternura e misericórdia, de amor e esperança, vai sendo um pouco relevado. Este sentimento religioso de ternura, de amor e de simplicidade da festa passa por algumas transformações. Nesse sentido, as pessoas analisam dizendo que o grande esquecido, minimizado em todo o processo, é o próprio dono da festa, o menino Jesus.

Como o senhor observa a predominância do individualismo na sociedade de consumo, deixando de lado a fraternidade ou, até mesmo, tornando a fraternidade uma espécie de modismo?

O valor máximo transcendental, da dimensão da fraternidade cristã, passa por uma acomodação na sociedade de consumo e de bem estar. A fraternidade diminui, aumenta o individualismo e a distância. Alguns passam a fazer uma espécie de fraternidade da moda. Nesse caso, é de bom tom social levar as cestas de Natal e presentes de papai noel, mas muitas vezes param o carro no sinal e jogam. Debaixo das marquises, onde tem tantos jovens abandonados, ficam lá esperando, e os donativos são simplesmente jogados. Realmente falta esta dimensão mais profunda de que as pessoas experimentem em si que a presença de Jesus, da simplicidade, do amor, está ali naquele pobre abandonado.

Talvez a humanidade esteja em um momento, até sem perceber, bastante propício para uma reflexão desse tipo, diante da discrepância da mensagem eterna e plena do Natal, de amor e de fraternidade, e de uma sociedade que se distancia cada vez mais destes valores, impondo as pessoas o medo, a violência, o individualismo, a fuga.

Tudo se faz para o bem estar individual. As missas, por diversos fatores, quanto mais cedo da noite são celebradas, mais concorridas são, porque as pessoas querem estar em suas casas protegidas com suas famílias.

Observamos a sociedade com um apego cada vez maior ao ter. Isso faz com que as pessoas se admirem e se respeitem a partir do ter, e não do ser. Como o senhor vê hoje o fato da valorização pessoa se dá pelo que ela tem, e não pelo que ela é de fato?

Para mim isso se constitui o ponto central e o grande desafio. A sociedade é programada e estabelecida de acordo com padrões que o consumo, o bem estar, os meios materiais que estão à disposição para isso, vão impondo e estabelecendo como referência. Quem não se enquadrar nessa referência vai sendo desprezado porque não tem a visibilidade, a embalagem desse “ter” que ostente.

O percurso desse desafio é bastante exigente, mas vale a pena ser retomado como uma trilha que possa trazer para as pessoas a esperança de que cada um está contribuindo para um mundo melhor. A pessoa valer por si só, pelo que ela representa. O próprio evangelho nos leva a essa reflexão: “estava nu e me vestistes; estava doente e viestes me ver; estava preso e viestes me visitar; quando fizeres qualquer coisa a um desses pequeninos, foi a mim que fizestes”.

Quanto mais o ser humano está sendo vilipendiado em sua dignidade, humilhado e oprimido na sua pobreza, mais ainda ali está uma interpelação de que é filho de Deus, de que é um irmão que precisa ser visto e acolhido.

Como o senhor vê a abertura de portas de sua igreja para as pessoas simples em um mundo que cultua, inclusive com engajamento de grupos religiosos, a prosperidade econômica?

Neste contexto vejo que há sempre um débito muito grande, e o papa Francisco, neste aspecto tem preenchido todas as lacunas nessa carência de simplicidade, de despojamento, de ir ao encontro. Eu mesmo faço um esforço para valorizar aquilo que é mais simples. Lembro que em 1975, quando nos ordenamos padres, a Igreja ainda vivia muito intensamente os frutos do Concílio Vaticano II, que aconselhava que se buscasse a pobreza e a renúncia aos palácios. Tudo se fazia para que as coisas fossem o mais simples possível.

Para mim o gesto da atenção, de ir ao encontro, de cumprimentar a todas as pessoas, sobretudo as mais simples, é algo fundamental na vida do padre. Nós temos que nos configurar a Jesus Cristo, ele é o modelo.

Hoje se vive uma distância muito grande entre aquilo que é o discurso e a perspectiva proposta pelo papa Francisco, que está buscando levar a Igreja ao Evangelho, e as nossas resistências por aquilo que é gosto da imagem, já que vivemos eternamente na tentação da beleza, das cores, das iluminações. Hoje, existe uma disputa entre igrejas para se ver qual foi o altar mais bonito, o andor mais bonito, a iluminação mais bonita.

Será realmente um grande desafio perseguirmos esse caminho da cruz, da manjedoura, da simplicidade. E é esta que vai ser a mensagem que chegará, que chamará a atenção e que será acolhida. Todo o mais passa.

O que o cristianismo pode propor com relação às inquietações existentes hoje no Brasil e no mundo que, de certa forma, mostram o desagrado do ser humano com a vida que se lhe apresenta?

O mundo está nos transmitindo este clima de muita inquietação, de muita tensão e, ao mesmo tempo, de manifestação. As pessoas querem fazer parte do cenário, da decisão, ocupar o seu lugar. Fazem isso de diversos modos, pacificamente ou não.

Esta situação traz à sociedade um alerta , que vejo como benéfico, e precisamos estar atentos a participação das massas, do povo, da sociedade, no momento do presente, no dia-a-dia, nas decisões. Claro que isto é algo bastante desafiador porque nem sempre as pessoas estão informadas, com capacidade de análise para se posicionarem diante de determinadas situações. É mais fácil seguir aquilo que é apresentado, aquilo que é promovido e estabelecido às vezes até pelos meios de comunicação, pela força da imagem, ou pelas ideologias mais diversas que estão por aí.

Vejo a realidade (das manifestações) como positiva como palco de discussão. Mas, também devemos estar preparados para uma sociedade em que não ficará pedra sobre pedra. Isso significa que tudo está visível, tudo está mostrado, observado. Nós estamos agora apenas descobrindo como poderá a sociedade dentro de anos ou de meses, diante da velocidade com que as coisas acontecem e evoluem. Não sabemos para onde vamos, (enquanto sociedade), mas não podemos prescindir da atenção e da corresponsabilidade sobre esses fatores porque se não perderemos, sem sabermos para onde ir.

Para mim existe um vazio muito grande de lideranças, mesmo nesse pluralismo de manifestações mais diversas. O mundo está sempre em ebulição, mas não temos aquelas referências que existiam nas décadas de 60 e de 70, isso no Brasil e no mundo.

Os jovens estão atentos, quando você tenta envolvê-los na realidade, eles se descobrem. Mas, precisam das referências, precisam de conteúdo, que nós não estamos tendo, nem na Igreja, nem fora. No ponto de vista de formar para lideranças como vimos no passado com a Ação Católica que preparava as pessoas para exercerem seu papel de cristão no mundo. Vivemos uma dimensão religiosa espiritual muito intimista, subjetiva, que não se preocupa muito em transformar a realidade.

Precisamos ter o cuidado para não nos resvalarmos para esta religião dentro de um contexto de charlatanismo. Muita gente está se valendo de um sentimento religioso para vender uma idéia, para promover a teologia da prosperidade, dizendo: “venha para cá que você vai melhorar de vida; traga o seu carro que você vai recebe outro”. O povo que está à mercê de tudo e de todos sem esperança, se tiver alguém que saiba explorar o seu sentimento religioso, poderá ir longe .

Entrevista concedida à Revista Foco Nordeste em dezembro de 2016.


Dom Jaime fala sobre a essência das celebrações natalinas
Um olhar retrô no centro da cidade O centro já teve mais glamour

Fui pegar a nova edição da revista Foco Nordeste com meu dileto amigo historiador, jornalista, economista e alma boa Marcos César Cavalcanti, nas proximidades do Marista, quando bateu vontade de almoçar no restaurante Macrobiótica, proporcionando reflexões no caminho.

Primeiro saltou aos olhos acostumados as produzidas vitrines dos shoppings, a pobreza das vitrines nas lojas do centro. Depois busquei os senhores já idosos que conversavam política no Café São Luiz, encontrando os mesmos em esquina próxima, poucos, remanescentes do espaço hoje fechado, que fazia a festa dos jornalistas em busca de opiniões diversas.

Na Princesa Isabel vi a criatividade presente na tentativa de burlar a fiscalização municipal sobre anúncios e placas, valendo até carrão servindo de outdoor para a faixa de vende-se. Uma outra coisa chamou atenção: um senhor mal vestido, perambula e não arrisca encostar em ninguém.

Olhando pensei na quantidade de energias negativas que uma pessoa pobre, mal cheirosa e faminta passa todos os dias.  Não recebe atenção, ouve impropérios, acusações, seguindo acumulando isso dia após dia, evitando assim contatos e se aproximando cada vez mais de lixos, animais sem dono e ambientes insalubres.

Vivem uma rotina intensa de desprezo e o isolamento os inserem no silêncio da transparência. O centro já teve mais glamour. Ainda sinto a vida pulsando, afinal gosto de garimpar amor e luz em todas as minas existentes, mas alguma coisa lenta, bolorenta e certa tinta fosca estão no centro da realidade das coisas.

Na Macrobiótica sentado revejo antigos personagens, como um contemporâneo calado que sempre foi assim. E na memória passagens de Thomas Green Morton, Flávio Zannata, Dr. Martins, Dra.Neide e muitas almas boas deste universo espiritual, esotérico e alternativo.

Luzzzzzz.

Por Flávio Rezende


Foto: Google Maps
O diferencial está na qualidadeA água mineral mais lembrada em Natal

Ser o principal destaque no segmento de água mineral é tarefa que exige atenção contínua na manutenção da qualidade, na oferta de produtos que facilitem a vida do consumidor e na inovação. A Água Mineral Santa Maria em mais um ano consecutivo mantém com folga a hegemonia na pesquisa Top of Mind 2017 com 29,43% de preferência do consumidor natalense como marca mais lembrada em seu segmento.

A Água Mineral Santa Maria, com 49 anos de existência, é vista pelo consumidor, cada vez mais exigente, como referência de qualidade em um mercado que tem grande variedade de marcas, como o de água mineral. Para garantir a confiança do consumidor, a Água Mineral Santa Maria mantém um planejamento de atualização contínua que reúne a capacitação profissional de seus funcionários e a inovação tecnológica. Com a liderança do empresário Roberto Serquiz, a Água Mineral Santa Maria tem hoje todos os processos de sua linha de produção automatizados. A Santa Maria fez também recentemente três novas e inovadoras mudanças no processo industrial de água mineral no Rio Grande do Norte. A empresa implantou o sistema de marcação de controle de qualidade eletrônico, automatizou a colocação do lacre, e alterou o layout produtivo dos galões de 20 litros.

A qualidade da Água Mineral Santa Maria foi recentemente comprovada pelo especialista alemão Mr. Ingo, que classificou a água industrializada pela empresa como de alto teor de CO2 natural, com qualidade em um nível igual ao das melhores marcas europeias.

O permanente esforço pela qualidade tem feito com que a marca Água Mineral Santa Maria tem em seu produto o seu ponto forte de marketing. O que leva o cliente a fidelizar com a marca Santa Maria é exatamente a qualidade de sua água mineral que se mantém ao longo de 49 anos. O tempo passa e os concorrentes se avolumam, mas permanece a qualidade que construiu a confiança e a liderança na preferência do consumidor. Gestão eficiente, investimentos na modernidade tecnológica e capacitação de pessoal, são pilares que se encontram em todas as áreas de produção da Água Mineral Santa Maria seguindo um objetivo maior: avançar na tradição da empresa de oferecer a água mineral de melhor qualidade no mercado.


Água Mineral Santa Maria recebe premiação Top of MInd 2017 como marca mais lembrada em seu segmento
O Prazer do ÓcioO pensar sobre uma crônica mais leve

A chuva cai na cidade de Aveiro no norte de Portugal, estávamos eu e  meu amigo e parceiro de muitas jornadas, o artista plástico Jayr Peny. Amigo esse residente em Portugal há mais de 25 anos. Estávamos na Pastelaria Rossio, delicioso pastelzinho de nata e um bom café para acompanhar, e uma boa conversa.Amenidades, literatura, música, cinema, uma boa piada e, claro, analise do novo momento político e econômico vivido pelo mundo ocidental nos últimos 15 anos.

A chuva que caia na cidade me faz pensar sobre uma crônica mais leve…

Uma crônica mais leve do que tem sido o costume...

De repente começamos a dialogar sobre ócio...

Deixo um pouco o olhar sobre este assunto... O comum ócio!

Usar o tempo para não falar de nada! Como se tivéssemos tempo de sobra para não falar de nada!

Café e pastelzinho de nata…

Só de pensar no cheiro do café e no sabor do pastelzinho de nata imagino a crônica ainda mais leve: preguiçosa, dedos sobre o teclado. Preguiça de escrever… Uma moleza, um ar de desdém, uma dormência…

A chuva me faz pensar o quanto é bom ter tempo para fazer uma crônica sobre ela. Pensar nas palavras para preencher esta crônica! O quanto é bom poder sentir, palavra a palavra. Como pastelzinho de natas saindo do forno. E uma boa xícara de café…

É importante saber que a vida é assim...

No café com os pasteis de natas na Pastelaria Rossio regados as conversas que giravam entre amenidades, literatura, música, cinema, agradeço poder escrever mais um texto em que foi possível parar e respirar.

Esta crônica é meio isso, um descanso, um intervalo no meio da confusão. Escrevamos besteiras e bebamos um café! Façamos isso enquanto o tempo nos concede esses episódios tão gostosos e genuínos da vida. Isso também é Viver!

Por Domingos Sávio de Oliveira, professor e sociólogo


Pastelaria Rossio, Aveiro, Portugal
A antirreforma do Ensino MédioReforma bancada pelo Governo prejudica a Educação Infantil

Ao ver a publicidade divulgando o novo ensino médio decidi fazer algumas considerações na tentativa de abrir o bom debate e desmistificar a embalagem apresentada na propaganda.

A reforma do Ensino Médio é a antirreforma visto que ela acaba fazendo com que a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional seja desmontada no que se refere ao próprio Ensino Médio e a Educação Profissional. A medida provisória estabeleceu um desmonte do ensino médio e faz com que os estudantes sejam divididos entre aqueles que vão ter acesso a um ensino propedêutico e aqueles que vão ter acesso a um ensino técnico de baixíssima qualidade.

Em relação ao Fundeb, é extremamente preocupante. A conquista do Fundeb foi financiar desde a matrícula na creche até o Ensino Médio. Como a medida provisória altera ele concentrando os recursos no Ensino Médio, o resultado é que a Educação Infantil, creche e pré-escola, vão ficar prejudicadas. Agora todos nós sabemos que a maior demanda da sociedade hoje é exatamente por creches.

Trata-se de uma medida que concentrou recursos do Ensino Médio, retomando a visão defendida por aqueles que defendem que é preciso focar as ações em algumas etapas da educação. Agora, o Ministério da Educação quer focar no Ensino Médio e Fundamental, excluindo a Educação Infantil em termos de financiamento. Estamos vendo um retorno piorado a década de 1990. O governo utilizou o resultado do Ideb para fazer uma crítica ao desempenho do Ensino Médio e montar uma reforma de cima para baixo que faz parte da agenda do estado mínimo.

O que o Brasil poderia fazer que não representasse custo efetivo de investimento na educação já foi feito. O que precisamos é resolver as agendas que implicam efetivamente em financiamento da educação. Quais são essas agendas? Primeiro: é preciso pelo menos equiparar os salários dos professores às demais profissões; Segundo: melhorar a infraestrutura das escolas; Terceiro: é preciso obrigatoriamente investir na melhoria do processo de ensino aprendizagem.

Tudo isso é a agenda do Plano Nacional de Educação, porém, em vez de buscar enfrentar essas questões estruturais, se opta por abandonar o PNE e, por Medida Provisória, forçar a implementação da política de desmonte da educação pública. Não vai dar certo, o que vai acontecer com a MP do Ensino Médio é que tudo vai ser tão descontinuado e tão desorganizado que os estados têm a opção de não implementar, o resultado dessa opereta é que vai ser extremamente danoso na organização das redes. A tendência é que o IDEB venha a piorar. Isso é uma medida feita para desconstruir o que foi feito nas últimas décadas pelos governos passados, o governo Temer optou por investir no revanchismo político sem pensar nas conseqüências pedagógicas. Isso acontece por quê? Porque são pessoas que não entendem de educação.

A justificativa do Ideb é incorreta. Exclui o fato de que muito do que precisava ser feito para melhorar o Ideb não foi feito e exclui o fato de que já existe uma agenda que defende a melhoria do Ideb, que é o Plano Nacional de Educação. Entendo que todos, sem nenhum tipo de exclusão, têm direito a uma educação de qualidade, o que significa que ninguém deve ficar de fora. Por isso, cada vez mais precisamos de políticas públicas conectadas às realidades e às necessidades de cada território, de cada região, políticas que enfrentem as diferentes formas de desigualdade. O sistema público de ensino atende cerca de 81% das matrículas da Educação Básica e envolve mais de um milhão de docentes. São essas redes de ensino que nescescesitam de políticas de valorização docente, que inclui salários adequados, planos de carreira e investimento na formação inicial e continuada dos professores, fator fundamental para a melhoria da aprendizagem dos alunos.

Em meio a uma crise econômica, política e institucional, o país não pode permitir nenhum tipo de retrocesso. A descontinuidade das políticas educacionais tem um impacto perverso. E o mesmo ocorre com propostas que são implementadas sem amplo debate e adesão dos educadores e dos setores da sociedade, como a reforma do Ensino Médio.

Por Domingos Sávio de Oliveira, professor e sociólogo


À SOMBRA DO CASAMENTOA importância de resgatar a importância da família

Amigo, de uns tempos pra cá a família tem sido muito desvalorizada. Parece que tudo e qualquer coisa é mais importante do que a união familiar. Fala-se em separação e divórcio como se o casamento fosse simplesmente um contrato desfeito, sem conseqüências futuras. Isso tudo está muito errado.

A coisa não é bem assim não. Família não é brinquedo. E coisa séria. Casamento tem implicações, sim, principalmente quando existem filhos. Chega de brincar de casinha! Precisamos ter maturidade ao efetuar nossas escolhas. E perseverança, quando surgem as dificuldades. Lamento não parecer moderno aos olhos de muitos. É que a modernidade, como se vem apresentando ultimamente, não tem “nada a ver” com a família, como tradicionalmente a conhecemos. Sim, eu sei que estão surgindo novos tipos de famílias, mas isso não impede que o modelo anterior, de eficácia comprovada, continue em vigor. E, para que ele não seja extinto, precisamos tomar alguns cuidados básicos.

Precisamos ter consciência de que a vida em família tem suas rosas e seus espinhos. É completamente ridículo casar pensando que só vai haver alegrias e contentamento o tempo todo. Muitos tropeços fazem parte das melhores uniões e a sua não vai ser diferente. Às vezes, muitos “sapos” precisam ser engolidos em prol de uma união estável. Devo existir paciência e empenho para que o relacionamento vá se aprimorando mais e mais. Quando existe amor, mesmo, quase tudo é possível. “... conflitos não resolvidos ou mal resolvidos deixam resíduos que vão se acumulando e estragando a relação paulatinamente, até miná-la sem volta. Crescem o rancor, a indiferença, a falta de perdão, o silêncio, o ressentimento e, com o tempo, cada um passa a viver uma solidão; isso é algo insuportável fim de linha. “ (Seleções julho/78).

Certifique-se que sua escolha tenha sido pautada no amor e respeito mútuo. Quando se sonha junto, edifica-se muito mais. Filhos não são bobagens ou brincadeiras, nem mesmo experiências que a genética nos permite realizar. Filhos são a extensão do casal. Um conjunto de vocês dois, porque se amaram tanto que quiseram ter um filho a sua imagem e semelhança. Isso faz com que se lembrem de algo? Exatamente, um amor maior. Maior que o tempo e o espaço. Um amor capaz de milagres. Capaz de dar a vida. Quando tudo estiver muito difícil e você não souber o que fazer ou com quem se socorrer. Busque a Deus. Pode parecer apenas um discurso bonito, mas guarda uma verdade profunda. Somente o amor pode nos ensinar a amar. O ilustre pregador Geziel Gomes, argumentando o tema: “ O amor provém da natureza interior de Deus “ . Deus tem semeado amor no mundo desde quando o criou... cada família cristã, cada novo lar que constitui tem à sua disposição o manancial do amor de Deus. O amor contudo, tem esfriado em muitos lares. Cada esposo precisa rever a dose de amor que atualmente dedica, e compará-la com os dias primeiros, quando cortejava a eleita, nos sonhos doirados da mocidade. Cada filho deve reconsiderar a medida do amor com que está se dedicando aos pais... cada pai precisa reavaliar a medida exta de seu amor para com os filhos. O amor não é policialesco, é magnânimo. Precisamos amar. E amar profundamente; tão inteiramente que não tenhamos de destruir nossas famílias em busca de satisfações inexistentes e irreais.

A felicidade não está fora, mas dentro de nós mesmos. Fomos educados a procura-la nas coisas e bens materiais. Fomos educados a procura-la nas coisas e bens materiais. Fomos educados a procurá-la nas pessoas que nos cercam, e não somente podemos encontra-la dentro de nós mesmos, mas, sobretudo, podemos encontra-la em Deus, quando permitimos que Ele fique conosco. Se você não é feliz em família, busque a causa dentro de si mesmo, e descubra o que o tem deixado tão insatisfeito. Às vezes, temos verdadeiros tesouros dentro de casa e vamos procurar contentamento fora dela. Invista no seu tesouro domiciliar. Converse, sonhe, faça planos, brinque. Procure melhora a sua relação com outro. Você pode achar que a grama do vizinho é mais verde, mas no fundo a dele tem a mesma cor que a sua. Não foi você que optou por isso? Não foi você quem escolheu essa vida? Então, vamos ajeitar tudo de modo que fique muito bom gostoso. Isso é possível com coragem, com sorriso, determinação e boa vontade.

Não adianta você dizer: Agora não brinco mais! Sua escolha já foi feita. Ela tem consequências, sim! Se você optar pela descontinuidade, isso também trará consequências Muitos pensam que a separação é a solução para todos os conflitos conjugais. Isso é mentira! Muitas vezes, é o inicio de conflitos ainda maiores. Obviamente, ninguém é obrigado a permanecer num lar onde a vida comum é praticamente insuportável. O psicólogo Eduardo Giusti... “Quantos casamentos são realizados simplesmente porque todos causam! É comum o casal pensar que se casou por amor quando, na realidade, o verdadeiro motivo oculto por detrás de sua união matrimonial era o desejo de fazer uma coisa socialmente aceita. E quantas vezes verdadeiro motivo vem à tona tarde demais! “Entretanto, quando as diferenças são trabalhadas desde cedo, tem-se mais chance de um final feliz. Agora, você é responsável sim, por suas escolhas. Você é responsável, sim pelo resultado advindo de suas decisões. Não adianta jogar a culpa no outro. Tenha coragem, a assuma sua opção, invista nela socorra-se dos meios possíveis para resgatar sua convivência. Toda a sua família agradecerá por isso.

“ só andarão dois juntos, se um estiver de acordo“ ( Bíblia)

Por Eliezer Sylvestre, jornalista

Membro Correspondente do Corpo de Psicólogos e Psiquiatras Cristãos


Foto: franciscanos.org
QUANTO VALE A IGNORÂNCIAEducação ainda está distante de ser uma prioridade

Foi-se a época em que as aparências apenas enganavam. Vivemos dias de plena certeza da ignorância à nossa espreita. Os investimentos em Educação e nas demais prioridades distanciam-se – infelizmente – do ideal almejado pela sociedade que sequer sabe, ou reconhece, seus reais pontos de melhoria. Ao olharmos para trás, no horizonte de um tempo longínquo, contemplamos, tristes, mas também convictos de que as perspectivas por nós acalentadas não foram tangenciadas. É preciso algo acima das ações até hoje empreendidas na busca por dias, verdadeiramente, prósperos.

Nessa marcha, parece utópico pensar que as recentes empreitadas políticas por mudanças no âmbito educacional conquistem nossos sonhos mais alvissareiros, principalmente vendo retrocessos, a despeito de aparentes avanços. Diante dessa realidade, caminhamos meio atabalhoados pelos ventos que sopram advindos de mentes pouco sensíveis às necessidades primeiras de um povo sedento por autoafirmar-se como nação – gigante pela própria natureza – em uma esfera, efetivamente, importante no mundo moderno. Cabe-nos agir.

Ademais, nossas ações têm sido pouco efetivas nas urnas eleitorais, como que tivéssemos feito uma aposta frustrante. E, com o andar dessa “carruagem”, o preço altíssimo do alheamento popular no processo de transformação – de tão escandaloso – beira o ridículo, haja vista as leviandades no campo político que, de tão desacreditado, nos deixa à mercê da incerteza; considerando-se o atraso e o desconhecimento de muitos quanto à dimensão caótica, no que tange ao aproveitamento lícito do erário, em alguns setores da vida socioeconômica deste país. Ainda continuaremos acreditando em mudanças, mas até quando?

Outrossim, por que custa tão caro o querer mudar? Se a ignorância tem preço bem mais alto, vale a pena investir em conscientização. E essa verdade precisa ganhar corpo na sociedade atual. Deixarmos de adiar a melhor das atitudes, primando por agir em prol das reais conquistas de um povo no campo das prioridades, não das inconsequentes e supérfluas investidas naquilo que não nos engrandece como nação.

E o tempo – que não para – envelhece-nos. Na verdade, às vezes, ficamos parecendo uns caixeiros-viajantes, oferecendo o que temos de melhor a quem tem muito, e não nos valoriza; explorando-nos. Perambulando em círculo, até com boas ideias, mas sem horizonte definido. Precisamos saber aonde queremos chegar, pois em que pese tenhamos tanta potencialidade, ainda figuramos como coadjuvantes no cenário do legítimo crescimento social que poderia advir da Educação, colocada – há tempos – em planos distantes da prioridade.

Queremos saber, então, quem vai pagar o preço dessa alienação contínua. Isso porque já não concebemos o tamanho dessa dívida moral, que é um paradoxo com a riqueza brasileira. Temos um povo que luta, mesmo sob o efeito de anestésicos políticos a cada dois anos, capaz de mudar o seu próprio futuro. Aguardamos por concretas reformas em vários setores do país, mas – pelo que vemos – a primeira substancial mudança precisa ser operada dentro de cada um de nós, os ditos brasileiros conscientes de seu papel na sociedade. E que fazer com a ignorância?

Por Sílvio Augusto


Foto: www.freepik.com
Mostrar mais
Mais Blogs
Mais Recomendadas